quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Tentaram...


mas não conseguiram! Pelo menos ainda não!!!

domingo, 25 de setembro de 2011

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

As polêmicas cotas raciais: a favor ou contra?


por Guilherme Freitas
educacao@blogdacomunicacao.com.br

Um tema que sempre gera debate são as cotas raciais. Elas já fazem parte dos programas de várias Universidade Brasileiras, mas sempre desperta reações opostas: alguns concordam com ela. Outros não. Essa relação de amor e ódio mexe com muita gente, de estudantes a parlamentares e gera muito debate. Tenho uma opinião formada sobre o assunto. Sou favor das cotas raciais por enquanto, mas não para todo o sempre.

O Brasil foi o último país do mundo a abolir a escravidão, apenas em 1888. Após a libertação, os negros tornam-se livres. Mas não podiam trabalhar, votar e nem estudar. Ai pergunto: de que adiantou esta liberdade? Tivesse a sociedade brasileira no final do século XIX inserido o cidadão negro na sociedade hoje não estaríamos discutindo cotas raciais e o Brasil poderia ser um pouco mais justo. Mas na época dos aristocratas ser negro era como ser escravo, embora muita gente hoje pense assim também…

Acredito que é preciso corrigir este grave defeito, mais de 100 depois. E é por isso que as cotas raciais entram na jogada. Mas não concordo só com cotas para negros em universidades. É preciso dar cotas para brancos pobres e principalmente para índios nas universidades também. Principalmente os indígenas, que tanto sofreram e ainda sofrem na sociedade atual. As cotas podem ajudar a diminuir o abismo entre brancos e negros, mas não podem ser para sempre. Senão muita gente se acomoda e tudo vira uma bagunça.

O Ministério da Educação e órgãos ligados a pasta deveriam fazer um grande estudo, com muitas estatísticas e números para atingir a um parâmetro. Ai daqui alguns anos chegaria a uma conclusão: se a maioria dos negros foi inserida no ensino superior e no mercado de trabalho, poderia se pensar em abolir as cotas raciais. Não haveria mais sentido manter uma cota racial se boa parte da população negra estiver preparada. Ai seria a hora de focar em uma cota para alunos de baixa renda. Outra coisa que precisa melhorar é a questão da definição de raça, porque muita gente diz ser descendente de negro, mesmo com a pele clarinha, clarinha.

No meu conceito, não importa a cor da pele. Raça é uma só: humana. Mas o ideal mesmo seria uma educação de qualidade e de alto nível, do maternal até as fileiras de doutorado. Mas como os políticos só pensam em sugar dinheiro público e fazer da política um palco para interesses próprios, a educação fica relegada a escanteio. Assim como a saúde, saneamento básico, moradia, desigualdade social, etc

Fonte: Paperblog

até breve

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Até quando?!?!?!


Depois de ontem...
Sem palavras!
Pior ainda... sem vitória!
Resistirá até quando?!?!?!
até breve

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

A festa dos mil dias para a Copa de 2014 (hoje, 999)


Das 49 obras de mobilidade urbana listadas nas 12 cidades-sedes da Copa de 2014, apenas 9 estão em andamento. Algumas medições indicam um número menor: 5 apenas. Estamos falando de obras necessárias de infraestrutura. Tudo para fazer transcorrer de forma adequada a movimentação das pessoas envolvidas com o evento. A estimativa é de que meio milhão de pessoas de fora estarão circulando pelo País durante o Mundial.

Está, portanto, tudo atrasado. Este blog defende e informa há algum tempo a disposição de o governo fazer vistas grossas para uma série de burocracia esparramadas pelo caminho. Nesta quarta-feira, Brasília sinalizou mais uma vez que essa, de fato, é sua estratégia para fazer a coisa andar. Liberou da licitação imediata obras que poderão ser entregues até 2013. No bom português, vai levando.

As obras que o governo já percebeu que ficarão para trás, talvez nem para o Jogos Olímpicos do Rio elas fiquem prontas, serão esquecidas. PT saudações. Fica para a próxima. O próprio ministro do Esporte, Orlando Silva Júnior, já admitiu que o Brasil trabalha com a possibilidade de não entregar as 49 obras pensadas lá no começo como necessárias.

Não será surpresa se metade dessas obras permanecer no papel, à disposição de outros governos municipais/estaduais interessados. Nesta sexta-feira, o Brasil começa a contagem dos 1.000 dias para a Copa de 2014. Daqui para frente vai ser uma correria só dos três governos. Imagino que as `coisas` serão aprovadas sem muito critério. Espero estar errado. Duvido. Há sinais que apontam nessa direção, inclusive para parar greves, como a que acontece no Maracanã.

ESTÁDIOS
As obras de todos os estádios nas 12 cidades-sedes estão em andamento, umas mais adiantadas, outras atrasadas, como a do Itaquerão. O governo federal não se preocupa mais com isso. Esse problema ficou para trás. Agora é só alimentar todas essas obras com o dinheiro do BNDES para quem pediu. Viveremos mais adiante a fase dos 500 dias para a Copa e aí o brasileiro vai começar a sentir a diferença do País. Isso vai mudar a opinião de muita gente sobre o evento.

O que não quer dizer que os brasileiros devam fazer vistas grossas para a gastança de todas essas construções, principalmente quando mexem com dinheiro público.
Por Robson Morelli

Fonte: Estadão

até breve

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

“No PMDB todo mundo manda, ninguém obedece e cada um fez o que quer”. É o novo ministro do Turismo…


Por Gabriel Manzano e Tânia Monteiro, no Estadão:

Maranhense de São Luís, 65 anos, o novo ministro, o advogado Gastão Dias Vieira, é um dos veteranos do Congresso: está em seu quinto mandato como deputado federal. Ligado ao presidente do Senado, José Sarney, Vieira é peemedebista desde 1985 - com um intervalo, entre 1990 e 1994, no PSC - e entre 1990 e 1998 foi secretário do Planejamento e da Educação no governo do Maranhão.

Ao deixar a reunião com a presidente Dilma Rousseff, ontem à noite no Planalto, ele disse, por telefone, que está “feliz com a solidariedade prestada pela bancada do PMDB”. Mas uma outra referência sua ao partido, numa recente entrevista ao CQC, da Band, tinha sido bem menos amistosa: “No PMDB todo mundo manda, ninguém obedece e cada um fez o que quer.” Na mesma atração, ele disse que o partido era “traíra”.

Segundo contou, na conversa com a presidente, que durou cerca de uma hora, ela lhe pediu “atenção e muita preocupação” com os preparativos da Copa do Mundo e recomendou que mantenha articulação com outros ministérios. Político de respostas rápidas, detalhista, ele tem presença constante no Facebook e no Twitter, onde divulga suas atividades.

Suas ligações com São Paulo são marcantes: ele teve em 2009 um cargo na diretoria da Fiesp e, na sua campanha a deputado, no ano passado, recebeu duas doações de peso, ambas no valor de R$ 100 mil - uma do Colégio Objetivo e outra da Rádio Mix FM.

Vieira não se preocupa com iniciativas do passado que possam ser agora cobradas. Como a decisão, ao assumir a Secretaria de Planejamento maranhense, de continuar, segundo o site Transparência Brasil, a usar seu apartamento funcional na Câmara, em Brasília. Ele garantiu que tinha sido autorizado “em caráter excepcional”. Ali viviam suas duas filhas. E uma delas chegou a ser empregada como comissionada da Câmara. Ficou no cargo até ser exonerada, quando o Supremo Tribunal Federal (STF) proibiu a prática de nepotismo. Aqui

Por Reinaldo Azevedo
Fonte: veja
até breve

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Tentando explicar:


Como se pode notar, há um certo tempo, não venho conseguindo unificar minhas atividades laborais e o blog.

Não posso dizer que o desânimo, a covardia, e, claro, o cansaço também não estão colaborando.

Quando resolvi criar este blog, como venho, reiteradamente, explicando, tinha a intenção de debater a situação de nossa cidade, nosso estado, nosso país, enfim, tinha a intenção em dar “pitacos” em tudo que me aprouver.

Claro que não posso responsabilizar apenas os motivos acima. Minha pusilanimidade tem créditos nessa novela toda.

No inicio cheguei a receber e-mails, e coincidência, ou não, até telefonemas com números não identificável, ambos sem conteúdo algum. Amigos solicitaram minha neutralidade no blog. Mas não foi esse o real motivo para partir para a tática do Ctrl + C, Ctrl + V.

Não sou fã de bater por bater, apesar de adorar ver o circo – lê-se blogosfera campista - pegando fogo. A proposta inicial sempre foi o debate.

Mas não deu!

Felizmente, o meu tempo tem estado escasso, e, mesmo para copiar, colar, tem sido difícil.

Solicitei, na última postagem, editores. No entanto, não sei se dará muito certo. Mas fica aí o convite (claro que dentro de alguns parâmetros, que deverão ser bem oportunamente pormenorizados).

O que me coloca em situação difícil, é que esse pequeno blog, “editado” por um “anônimo”, tem hoje cem seguidores, e tem mais de quinhentas visualizações diárias, mesmo na base do copia e cola.

Ta dando pena! Mas fazer o quê?!?!?!

até breve, esperando arrumar mais tempo, ou, quem sabe...

domingo, 28 de agosto de 2011

S.O.S.


Precisa-se de Editor(s)!
Em oportuno momento, venho explicar melhor tal solicitação.
até breve

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

'Planeta dos Macacos: a Origem' traduz medo real da ciência


A cena do filme "Planeta dos Macacos: A Origem" mostra o chimpanzé Caesar, cuja história fictícia representa uma discussão real do mundo científico.

Foto: Twentieth Century Fox/AP

Reduzir Normal Aumentar Imprimir Com a estreia de Planeta dos Macacos: A Origem nos cinemas brasileiros nesta sexta-feira, o público poderá acompanhar a história do chimpanzé Caesar, que desenvolve uma inteligência quase humana e começa uma revolução para dominar o mundo. Apesar do apelo cinematográfico, a trama pode estar mais próxima da realidade do que parece. O filme chega ao Brasil um mês depois de a Academia de Ciências Médicas da Grã-Bretanha ter publicado um pedido ao governo britânico para repensar as leis que regem as pesquisas médicas com animais. Entre as preocupações dos cientistas ingleses, está a possível criação de animais com inteligência humana.

Após 10 anos, 'Planeta dos Macacos' volta sem máscaras
Saiba onde assistir em São Paulo, Rio e mais seis capitais

O professor Thomas Baldwin, um dos membros da academia, disse à BBC que o grupo teme "que se comece a introduzir um grande número de células cerebrais humanas no cérebro de primatas e que isso faça com os que os primatas adquiram algumas das capacidades que se consideram exclusivamente humanas, como a linguagem". Apesar de ser uma preocupação a longo prazo, o professor acredita que já devemos começar a pensar em como regular estas pesquisas.

A opinião é compartilhada pela brasileira Lygia Pereira, coordenadora do departamento de Genética e Biologia Evolutiva da Universidade de São Paulo (USP). Para a pesquisadora, a criação de seres híbridos com células animais e humanas "é uma preocupação atual" no meio científico e devem haver limites claros para os testes em laboratório. De acordo com Lygia, não há problema em implantar células humanas em animais, desde que elas não interfiram no sistema nervoso ou no sistema reprodutivo do receptor. Caso isso acontecesse, poderíamos criar os cinematográficos chimpanzés com capacidades cognitivas avançadas ou ainda um camundongo capaz de produzir espermatozoides humanos.

Transgênicos e quimeras
Um símio inteligente como o fictício Caesar seria, provavelmente, uma quimera: um animal com células humanas. O termo quimera vem da criatura mítica grega cujo corpo misturava diversas criaturas. Algumas versões a apresentam como uma mistura entre mulher, serpente e égua, outros a desenham como a junção de um leão com serpentes, entre outras variações. Hoje, o termo é utilizado no meio científico. As quimeras são diferentes dos animais transgênicos, que não possuem células de outros animais, apenas genes externos inseridos em seu código genético.

A criação de animais transgênicos é bem menos controversa que a criação de quimeras, já que alterações genéticas não levam ao desenvolvimento da inteligência ou de células reprodutivas. No Brasil, diversas pesquisas utilizam camundongos transgênicos, e ainda esse ano, o País contará com um centro de produção de camundongos sob encomenda, que será parte do LNBio (Laboratório Nacional de Biociências), em Campinas. Cientistas poderão pedir ao centro que produza animais com alterações específicas que sirvam ao estudo de determinadas doenças.

O primeiro camundongo transgênico brasileiro foi criado em 2001 na USP, pela equipe coordenada por Lygia Pereira. Quase ao mesmo tempo, a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) criou seu próprio camundongo transgênico, sob a liderança de João Bosco Pesquero. Desde lá, diversos transgênicos foram criados nas universidades para pesquisas médicas e, de acordo com Pesquero, a Unifesp tem planos de começar a utilizar coelhos em suas pesquisas.

Avanços brasileiros com transgênicos
Entre as criações da Unifesp, Pesquero destaca um camundongo capaz de dar leite com uma proteína humana necessária na coagulação do sangue. O animal teve seu DNA alterado com uma mutação no fator 12 do código genético e passou a produzir a proteína que pode ser usada no tratamento de doenças do sangue, como a hemofilia. A pesquisa foi feita como um teste prévio para a criação de uma vaca, mas o projeto com bovinos, que não era da universidade, acabou não tendo prosseguimento.

Mas a experiência abriu caminho para novas pesquisas em animais biorreatores, aqueles que produzem substâncias que servem a medicamentos. O próximo projeto é criar um coelho biorreator. "Precisamos diminuir a dependência externa", defende Pesquero, que aponta a demora em conseguir modelos do exterior como o maior problema na falta de produção própria de animais transgênicos.

A polêmica dos híbridos
"O que nos define como humano?" pergunta Lygia Pereira, fazendo eco às preocupações da academia britânica que já prevê que, se começamos a criar quimeras, precisaremos decidir que porcentagem de células humanas em um ser vivo lhe concede, por exemplo, direitos humanos.

Entretanto, o tema não parece problemático para o cientista Desmond Morris, zoólogo que ficou famoso ao apresentar os primeiros programas de TV sobre o mundo animal, nos anos 1960. Em artigo publicado pelo jornal britânico The Sun, Morris diz que não vê problemas em gerar criaturas que sejam fruto de animais com humanos. Para ele, o medo de fertilizar um óvulo de chimpanzé com esperma humano existe apenas porque "nos negamos a aceitar que humanos são animais".

Quanto aos perigos retratados no filme Planeta dos Macacos: A Origem, o britânico disse que as chances de sermos dominados por chimpanzés é "nula". Para ele, mesmo no caso de um símio adquirir características humanas, ele ganharia também os traços amigáveis, dóceis e cooperativos da espécie humana e dificilmente iniciaria uma revolução. Mesmo assim, ele chama a atenção para o fato de que muitos dos testes realizados em laboratório causam sofrimento aos animais. "Preferimos fechar os olhos porque desfrutamos dos benefícios das novas descobertas da medicina moderna", afirmou.

Fonte: terra

até breve

Bactéria torna mosquito do Dengue imune ao vírus


Uma bactéria pode ser a barreira para travar o dengue, doença que afecta entre 50 a 100 milhões de pessoas no mundo tropical e subtropical, mostram dois estudos publicado na edição desta quinta-feira da revista Nature.

Os resultados mostram que podemos transformar completamente populações locais [de mosquitos] em poucos meses”, disse Michael Turelli, biólogo da Universidade da Califórnia, EUA. “É a selecção natural alimentada por esteróides.”

O dengue é provocado por quatro estirpes de um vírus que infecta as pessoas através das picadas do mosquito Aedes aegypti. O vírus causa febre, dores musculares e pode ser fatal, nos casos de febre hemorrágica. Cerca de 20 mil pessoas morrem anualmente desta doença. Não existe vacina e uma forma de luta contra a doença é o controlo da população de mosquitos.

Em 2009, a equipa de Turelli, que envolve vários investigadores de universidades da Austrália, resolveu utilizar a bactéria Wolbachia que existe naturalmente nos mosquitos para encurtar o tempo de vida do insecto e prevenir o desenvolvimento do vírus. A primeira tentativa revelou-se um falhanço, porque a bactéria era muito forte e matava rapidamente os mosquitos.

Os investigadores voltaram para o laboratório e lembraram-se de utilizar uma estirpe da Wolbachia menos violenta. Acabaram por obter outro resultado, inesperado: a bactéria impedia o insecto de ficar infectado pelo vírus do dengue sem matar o mosquito. Os cientistas não sabem ainda como é que a bactéria protege o mosquito do vírus. Poderá ser um processo molecular, um aumento da resposta imunitária ou ambos.

A bactéria passa de geração para geração, de mães para filhos, o que facilita a sua propagação. Além disso, só sobrevivem os ovos de mães infectadas pela bactéria Wolbachia. Os ovos de insectos fêmea saudáveis que são fertilizados por machos com a bactéria acabam por morrer.

Depois de testarem a biologia deste sistema no laboratório a equipa soltou milhares de mosquitos infectados com a bactéria em Queensland, na Austrália. Antes, no entanto, percorreram um longo processo em que consultaram os governos locais, os reguladores, e falaram com as populações para explicar o que ia suceder.

Depois de soltarem os mosquitos, a bactéria prosperou. Numa localização, 100 por cento de mosquitos capturados tinham a bactéria, noutra localização, a Wolbachia estava presente em 80 por cento dos indivíduos. A equipa encontrou ainda elementos da nova população espalhados em locais onde não foi libertado nenhum insecto.

A experiência “inaugura o início de uma nova era de controlo de doenças transmitidas por mosquitos”, disse Jason Rasgon, especialista do Instituto de Investigação de Malária de Johns Hopkins, em Maryland, EUA, num comentário sobre a descoberta publicado também na revista Nature.

“A vantagem deste método de substituição de populações é que assim que estiver estabelecido, propaga-se por si mesmo. E porque a população de mosquito é alterada em vez de ser eliminada, os efeitos nos ecossistemas serão mínimos.”

Os investigadores querem agora implementar a técnica em outros locais do mundo, como no Brasil.

Fonte: Público

até breve

Jornalista entrega bandeira do flamengo ao rival de Anderson Silva


Jornalista deixa o patriotismo de lado, entrega uma bandeira do Flamengo ao rival de Anderson Silva e inverte a torcida: "Agora só não pode perder para o corintiano".

Não existe a menor dúvida de que a luta entre o brasileiro Anderson Silva e o japonês Yushin Okami é a de maior apelo do UFC Rio, amanhã, na HSBC Arena. E ontem, após a coletiva oficial do evento, ela ganhou ainda mais notoriedade. Irritado com os mimos ao corintiano Spider, o jornalista flamenguista Rodrigo Mandarini deu as costas ao patriotismo e à profissão ao presentear o lutador estrangeiro com uma bandeira do time carioca. Para a surpresa de todos, Okami a beijou, declarou-se fã de Zico, torcedor do Flamengo e fez uma promessa: “Vou levar no dia da luta”.

Entusiasmado com a atitude do japonês, Rodrigo Mandarini tirou fotos e revelou ao Correio o que o motivou a tomar tal atitude. “Eu sempre ando com uma bandeira do Flamengo. Estou vendo todo mundo falando que o Corinthians é o maior time do Brasil por causa do Anderson Silva e falei para o Okami que não é. Entreguei a bandeira e disse a ele que agora sim teria a maior torcida do mundo ao seu lado.”

Ciente de que no Brasil a torcida estará toda ao lado dos brasileiros, mas que o futebol também tem falado alto no UFC Rio, Rodrigo Mandarini espera que seu presente sirva para dar força ao desafiante ao cinturão dos médios. “Sem essa bandeira o japonês não teria a menor chance contra o Anderson Silva. Agora só não pode perder para o corintiano”, brincou o fã.

Não por acaso, durante a coletiva o lutador brasileiro foi bombardeado de perguntas sobre o time de coração. Novamente com o discurso de que está realizando um sonho de criança ao representar o Corinthians no octógono, Spider chegou a dizer que os gritos de outros times não iriam surtir efeitos na hora do evento principal. “Acho que isso faz parte e é legal trazer o futebol para o universo do UFC. Eu fechei contrato com o Corinthians, o José Aldo tem sido sondado pelo Flamengo. É assim e é legal. Estamos conseguindo quebrar essas barreiras e todos torcem juntos”, desconversou Anderson Silva.

Fã do Galinho

Ele com certeza só não esperava que o adversário Okami usasse a maior torcida do Rio de Janeiro para rapidamente ganhar o carinho de alguns brasileiros. Logo na saída do hotel, na Zona Sul do Rio, muitos já diziam que iam torcer para o japonês levar o cinturão.

A tietagem declarada de Okami a Zico já tinha ocorrido na última segunda-feira. Em visita ao Centro de Treinamento do CFZ, ele foi apresentado ao Galinho. De acordo com o lutador, o encanto pelo craque dos gramados brasileiros começou assim que o ex-jogador da Gávea fez excelente trabalho no futebol japonês. “Sou fã dele desde a minha infância e aproveitei essa vinda ao Rio para concretizar o sonho de conhecê-lo”, disse Okami, em entrevista ao SporTV.

Sem estrelismo
Sem dúvidas o lutador que mais está em evidência no Rio, Anderson Silva descartou ser uma grande estrela no país a exemplo de Ayrton Senna e Pelé. “Estou longe disso. Não tem como comparar qualquer outro atleta a nomes como esses”, disse o Spider na entrevista coletiva.

Garoto-propaganda
Toda vez que fala, Anderson Silva surpreende por causa da voz fina. Aproveitando a característica do campeão da categoria médio, um dos patrocinadores do Spider resolveu brincar. A rede de fast food fez dois vídeos promocionais de um sanduíche aproveitando a situação. Em um deles, Anderson se depara com todos ao seu redor falando com a voz fina. No outro, o campeão é o astro de uma paródia do clipe da música Lovin’ You, da cantora Minnie Riperton. O slogan utilizado para descrever a novidade é: “Tão assustador que você afina”.

Sonnen é vetado
O polêmico lutador Chael Sonnen, desafeto do Brasil, não virá ao país após ter sido proibido pela marca Pretorian, que patrocina o UFC Rio e o próprio Yushin Okami. O japonês é companheiro de equipe de Sonnen. Famoso por provocar o país e os lutadores brasileiros, norte-americano disse que estaria no córner de Okami, mas desistiu para não atrapalhar o rival de Anderson Silva. “Estava tudo pronto para fecharmos o contrato, quando soubemos que o Sonnen seria córner do Okami. Nós avisamos que, caso ele viesse, o contrato estaria acabado”, disse o gestor de marketing da empresa,
Alexandre Bucci, em nota oficial.

Elogios do campeão
Campeão da primeira edição do UFC, o brasileiro Royce Gracie elogiou o crescimento da marca e do MMA e atribuiu o sucesso aos donos do evento. “Eles fazem um show espetacular”, destacou ele ao UOL, fazendo referência a Dana White, presidente do UFC,
e aos irmãos Lorenzo e Frank Fertitta. “No começo, os eventos eram mais fechados, mas, desde que eles tomaram conta, o crescimento foi muito grande”, acrescentou.

Saiba mais
Provocação à distância
No site do UFC, o norte-americano Chael Sonnen protagoniza mais um de seus vídeos provocando Anderson Silva. Derrotado pelo brasileiro no ano passado, ele fala sobre o duelo entre o campeão e Yushin Okami e dispara: “Você vai ter muito trabalho para convencer alguém razoável de que Anderson tem alguma chance nessa luta”. Segundo Sonnen, Anderson não queria enfrentar o japonês. “Okami foi o último cara a vencê-lo. Anderson evita ele há cinco anos. Ele tentou fugir dessa luta dizendo que Okami não era o desafiante número um”, provoca. Para encerrar, o norte-americano assegura que a vitória será de Okami e provoca o brasileiro mais uma vez. “Quem sabe como Okami vai ganhar? Quem se importa? O importante é que ele vai conseguir. Anderson é um mito e um lutador terrível.”

Quem acompanha MMA sabe que a música escolhida para entrar no octógono por cada lutador diz muito sobre a personalidade de cada um. A maioria deles opta por sons eletrônicos ou batidas pesadas. Afinal, é com elas que se sentem à vontade para se concentrar e não fugir em nada do contexto de treino.

Exatamente por isso o brasileiro Maurício Shogun repetirá pela quinta vez o som Sail. “É com essa música que me sinto bem”, explica. Embora possa parecer uma opção óbvia, escolher o som de identificação nem sempre é o que o atleta decide. No caso de Shogun, por exemplo, a ideia era homenagear o Brasil, mas acabou desistindo. “A gente até cogitou colocar uma música brasileira, algo especial para que o público se familiarizasse melhor. Mas o UFC não permite qualquer som e resolvemos não mexer com isso”, revelou o manager do lutador curitibano, Eduardo Alonso.

Mas da mesma forma que para alguns trocar o script de entrada pode afetar no rendimento dentro do octógono, para outros parece não fazer muita diferença. É o caso de Rodrigo Minotouro, que irá enfrentar o norte americano Brendan Schaub. Quando perguntado sobre o ritmo que iria usar no Brasil ele sorriu. “Nem sei ainda”, esquivou-se.

Um dos que mais atraía o público com as entradas em forma de show é o maior destaque do UFC Rio. Por muitos anos, Anderson Silva adentrava as arenas não só ao som, mas também caracterizado como o ídolo pop Michael Jackson.
até breve

Fitch: recessão dos EUA tiraria 1 ponto do PIB do Brasil


O Brasil poderá perder um ponto porcentual no crescimento econômico entre 2011 e 2013 se os EUA entrarem novamente em recessão. Este é um cenário simulado pela agência de classificação de risco Fitch Ratings em relatório divulgado hoje, no qual avalia o efeito global de um hipotético duplo mergulho da economia norte-americana na recessão.

No caso do Brasil, que tem os EUA e a China como principais parceiros comerciais, o crescimento do PIB em 2011 ficaria em 3,7%, ou 0,3 ponto porcentual abaixo da estimativa básica da Fitch. Para 2012, uma recessão nos EUA tiraria mais 0,3 ponto do crescimento brasileiro, que passaria a ser projetado em 4,2% pela agência. A Fitch também vê expansão de 4,5% para a economia do Brasil em 2013, 0,5 ponto a menos do que o País cresceria se os EUA seguirem em expansão.

A Fitch esclarece que estas são simulações e que um duplo mergulho dos EUA não está em seu cenário básico, mas que os riscos de que ele ocorra parecem crescer. Neste mês, a Fitch rebaixou sua previsão de crescimento para a economia dos EUA para 1,8% em 2011, de 2,6%, e para 2,6% em 2012, de 2,8% antes. Na simulação do duplo mergulho, a Fitch trabalha com o crescimento dos EUA caindo para 1% este ano e ficando negativo em 0,6% no próximo.

O relatório da agência centra foco na análise de um eventual impacto por meio do comércio entre os países, já que não busca quantificar os efeitos do aumento na aversão ao risco que uma nova recessão norte-americana causaria para a economia global. O PIB mundial perderia no mínimo 2,1 pontos porcentuais em três anos, sendo 0,3 ponto em 2011, 1,2 ponto em 2012 e 0,7 ponto em 2013, sempre na simulação considerando-se a freada na economia dos EUA.

O crescimento na China ficaria 2,7 pontos porcentuais abaixo do estimado para o período 2011-2013, com fortes repercussões para o mundo todo. Segundo a Fitch, a China cresceria 8,6% em 2011 (-0,1 ponto), 7% em 2012 (-1,5 ponto) e 6,9% (-1,1 ponto) em 2013 se os EUA voltarem para a recessão neste período.

"Com a emergência do recuo do consumo no contexto de mercados de trabalho e moradia fracos e com a nova intensificação do estresse dos mercados financeiros relacionado à crise da zona do euro, os temores do mercado sobre a chance de os EUA caírem novamente em recessão aumentaram", disse Maria Malas-Mroueh, diretora do grupo soberano da Fitch em Londres.

Entre 2011 e 2013, a área do euro, o Reino Unido e o Japão desacelerariam 1,6 ponto, 0,7 ponto e 0,9 ponto, respectivamente, em relação ao cenário básico, projeta a Fitch. Mas a agência alerta que o impacto sobre as grandes economias avançadas pode ser muito maior no caso de duplo mergulho dos EUA por causa da segunda rodada de efeitos, que incluem a interdependência dos setores financeiros. Outros países que seriam drasticamente atingidos pelo crescimento menor nos EUA incluem os vizinhos Canadá e México, afirma a Fitch.

Fonte: Diário do Grande ABC

até breve

Brasileiros terão plano de internet 1Mbps por R$ 29,90


A operadora de telefonia móvel Claro anunciou que também fará parte do PNBL (Plano Nacional de Banda Larga). A empresa irá fornecer um plano popular de internet com velocidade de 1 Mbps (Megabit por segundo) pelo valor de R$ 29,90, já com impostos inclusos.

De acordo com a Agência Brasil, o presidente da Claro, Carlos Zenteno, afirmou em reunião com o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, na última quarta-feira (24), que o serviço estará disponível pelo mesmo preço em todas as cidades onde a empresa está presente.

Para acessar o plano, o consumidor deverá adquirir um modem, que terá custo separado da mensalidade. Segundo o presidente da empresa, atualmente a Claro atende 515 municípios com internet 3G e a expectativa é de 1017 cidades até o fim do ano.

A assessoria de imprensa da empresa não soube informar o valor do modem e nem quando, exatamente, o serviço será disponibilizado.

Outros planos
Outra operadora de telefonia móvel que também aderiu ao Plano foi a TIM, que passa a fornecer o plano popular a partir de setembro. O acesso também será para velocidade de 1 Mbps, por R$ 35 mensais.

As primeiras cidades a receberem o plano serão Samambaia e Recanto das Emas, no Distrito Federal, além de Águas Lindas e Santo Antônio do Descoberto, em Goiás.

Fonte: DEFATO

até breve

Agência de risco eleva expectativa para nota do Brasil


Perspectiva da Standard & Poor's anunciada sobre dívida brasileira foi de estável a positiva
A agência de classificação de risco Standard & Poor’s revisou de ‘estável’ para ‘positiva’ a perspectiva para o rating de crédito soberano de longo prazo em moeda estrangeira do Brasil, reafirmando a nota em ‘BBB-’. A revisão reforça à sua recomendação de investimento no Brasil e sinaliza uma chance de que a nota de crédito soberano do Brasil possa ser elevada.

A S&P citou, entre outros motivos, sólidas expectativas de crescimento por fatores domésticos e externos para elevar a perspectiva do Brasil. A S&P também considerou que a estrutura econômica diversificada da economia brasileira, a classe média crescente e o potencial para exportações mais altas deveriam sustentar o crescimento do PIB e a liquidez externa nos próximos três a cinco anos.

A agência informou ainda que passos recentes para conter pressões inflacionárias de curto prazo demonstram o compromisso do governo em conter riscos macroeconômicos. A S&P também afirmou que também manteve o rating de crédito soberano de longo prazo em moeda local em BBB+.

Outras duas importantes agências de rating -Moody’s e Fitch - classificam o Brasil como grau de investimento, com notas ‘Baa3’ (perspectiva ‘positiva’) e ‘BBB’ (perspectiva ‘estável’), respectivamente. A Fitich é a única agência de risco que coloca o país num nível acima do grau de investimento.

A classificação de risco é uma ferramenta usada pelos investidores na hora de decidir em que país irão colocar suas aplicações. Ela reflete o risco que um país tem de não honrar o pagamento de seus títulos.

A avaliação de risco de investimento é um sistema de nota desenvolvido por agências de análise de riscos para alertar os investidores de todo o mundo sobre os perigos do mercado em que eles escolhem para aplicar seu dinheiro.

O principal benefício de o país se tornar investment grade é atrair grandes investidores de países desenvolvidos que, por regras dos seus estatutos, só podem investir em ativos considerados de baixo risco.

Bovespa

A Bovespa não se mostrou entusiasmada para acompanhar os mercados externos quando estes subiram ao longo da semana, mas se animou na queda. O Ibovespa terminou o dia em baixa de 1,57%, aos 52.953,30 pontos.

Nem mesmo o anúncio da Standard & Poor’s de que revisou a perspectiva para o rating do País em moeda local para positiva, de estável, fez os investidores se animarem. Ao contrário, os estrangeiros seguiram na venda e poucas ações terminaram em alta.

E agora

ENTENDA A NOTÍCIA

Na visão da Standard & Poor´s, os fatores citados pela agência dão suporte a hipótese que um default (não pagamento) nas dívidas em moeda local do Brasil permanece menos provável do que um default nas dívidas em moeda estrangeiras.

Fonte: O POVO

até breve

INSS: novos trabalhadores terão que contribuir por quase 50 anos


A partir de dezembro a maneira de calcular a aposentadoria dos novos trabalhadores vai mudar. O fator previdenciário vai ser substituído e as alternativas ainda são estudadas pelo governo. Uma delas é fazer com que o tempo de contribuição para o INSS chegue a quase 50 anos. As informações foram passadas nesta quinta-feira, pelo ministro da Previdência, Garibaldi Alves Filho.

A iniciativa considera a fórmula 95/105, que soma a idade e as contribuições dos segurados. A idade mínima é uma hipótese considerada pelo governo.

"Ainda não há uma definição do que irá substituir o fator. Não pode haver uma eliminação pura e simples, é preciso achar uma alternativa melhor, mas que não deixe o governo desprotegido quanto à sua receita, que é fundamental para o pagamento dos benefícios", disse.

As discussões passarão pela Casa Civil, Previdência, Fazenda e Planejamento. Aposentados e centrais sindicais também têm participação na negociação.

Fonte: SRZD

até breve

Fiscalização interdita P-10


A Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Rio de Janeiro interditou parcialmente nesta quinta-feira (25/8) a plataforma P-10 da Petrobras. A informação foi divulgada pelo Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF).

Segundo o sindicato, os fiscais apontaram 45 não conformidades na plataforma, que representam risco “grave e iminente a vida dos petroleiros”. A visita à plataforma foi realizada na quarta-feira (24/8).

A unidade não está em operação e passa por manutenção no terminal portuário de Triunfo, na Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro.

A Petrobras negou a informação e afirma que a P-10 não está interditada. Segundo a petroleira, a Superintendência do Trabalho realizou visita nesta quinta-feira (25/8) e "os fiscais verificaram alguns itens, pedindo seus reparos". Todos os itens apontados estão sendo providenciados pela companhia.

O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, apontou na quarta-feira que as fiscalizações e interdições na plataformas da empresa são o principal fator de redução na produção de óleo e gás.

Fonte: EnergiaHoje

até breve

Eike expulsa


O Boletim do Núcleo Piratininga de Comunicação (NPC) traz notícia sobre o drama dos camponeses de São João da Barra, na região norte do Estado do Rio de Janeiro, que estão sendo expulsos de suas terras para a construção dos estaleiros do Porto do Açu, um dos maiores empreendimentos de Eike Batista e orçado em pelo menos 1 bilhão de dólares.

Fonte: portogente

até breve

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

TIM negocia parceria para oferta de TV por assinatura no Brasil


A companhia está em conversas com provedores de conteúdo para potencial parceria para oferta de serviços de TV paga no País.

TIM Participações superou a Claro em mais de 600 mil acessos móveis em julho e assumiu a segunda colocação em de telefonia móvel no País pela primeira vez desde setembro de 2008. Em outra frente, a companhia está em conversas com provedores de conteúdo para potencial parceria para oferta de serviços de TV paga no País, para utilizar o potencial de sua rede após a aquisição da AES Atimus por R$ 1,6 bilhão, anunciada em julho.

A TIM, controlada pela Telecom Italia, possuía no final de julho market share de 25,78% no mercado brasileiro de acessos móveis, com 56,8 milhões de acessos móveis, enquanto a Claro, da mexicana América Móvil, aparecia com 25,51%, totalizando 56,2 milhões de linhas, segundo dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Em junho, ambas estavam tecnicamente empatadas em market share, mas a Claro possuía ligeira vantagem sobre a concorrente. "Este é o sexto trimestre que temos mostrado forte aceleração (da base de assinantes)", disse nesta terça-feira o diretor comercial da TIM, Lorenzo Lindner.

Lindner refuta que os acessos móveis da TIM estejam "sujos", ou seja, de que muitas das linhas pré-pagas na base da operadora sejam de chips inutilizados que não geram receita e implicam em custos para a companhia, mas contam como market share.

"Temos uma das regras mais rígidas do mercado (para eliminação de linhas inutilizadas)", disse Lindner, sem revelar qual o prazo sem utilização que resulta na terminação de uma linha. Segundo ele, 85% dos acessos móveis da TIM são pré-pagos.

A Vivo, do grupo Telefônica, continua na liderança e tinha no fim do mês passado participação de mercado de 29,53%, com 65,1 milhões de clientes, segundo a Anatel.

A Oi aparece em quarto lugar, com market share de 18,85%.

TV paga


Na semana passada, o Senado aprovou o projeto de lei 116 (PL-116), que permite às companhias telefônicas oferecer serviços de TV paga em suas redes de cabo e fibra ótica.

"Estamos negociando parceria com provedores de conteúdo", disse o diretor da TIM, acrescentando que um serviço de TV paga pode ser oferecido ao consumidor "provavelmente" em 2012.

Segundo o executivo, a TIM também vai priorizar a oferta de internet de alta velocidade (entre 50 e 100 megabits.
Fonte: EXAME
até breve

Eike Batista decide participar dos próximos leilões aeroportuários


O empresário Eike Batista, o homem mais rico do Brasil, revelou ontem que irá participar dos próximos leilões de concessão de aeroportos que o governo pretende realizar até o fim de 2011. Eike, no entanto, não especificou se pretende disputar a concessão de todos os três terminais que serão leiloados em dezembro - Cumbica, em Guarulhos (SP), Viracopos, em Campinas (SP) e Brasília - ou se tem interesse apenas em alguns. "No mínimo eu vou provocar os outros a pagarem mais", afirmou durante encontro com empresários promovido pelo Grupo de Líderes Empresariais do Rio (Lide-Rio). -

Batista disse que sua intenção é montar um consórcio com um grupo estrangeiro, e não com uma empresa brasileira, para disputar as concorrências.Adiantou também que poderá criar uma nova companhia para entrar no ramo aeroportuário.

"Trata-se de uma oportunidade de negócios grande, principalmente no Brasil, que tem um tráfego [aéreo] expressivo", declarou. Anteontem o governo realizou a primeira concessão no setor. O vencedor do leilão do aeroporto de São Gonçalo do Amarante, no Rio Grande do Norte, foi o consórcio Inframérica, formado pela Engevix e pela argentina Corporación América.

Açu

Na mesma ocasião, Batista observou que a indústria automobilística provavelmente perderá espaço para a de óleo e gás no Complexo Industrial do Porto do Açu, que a LLX está construindo na região norte do Estado do Rio de Janeiro. Segundo o empresário - que controla o grupo EBX, ao qual a companhia LLX está ligada -, a indústria automotiva "ficou pequena" para o Porto do Açu perante o interesse de empreendedores de óleo e gás em se instalarem ali.

"Grandes empresas, que vão ter de fornecer equipamentos de contratos já ganhos, estão procurando lugar para fazer uma indústria", disse.

"Temos como âncora o nosso próprio estaleiro, que é um grande demandador", afirmou em referência ao complexo que a OSX, empresa de construção naval e offshore do grupo, vai erguer no local. Ainda segundo Batista, as empresas que se instalarem em Açu também poderão atender de forma competitiva a estaleiros localizados em outras partes do Brasil. "Os outros estaleiros podem receber as peças por navio. É uma vantagem imensa usar a cabotagem para entregar", defendeu ele.

Fonte: DCI

até breve

Tribunal decide que estudante pode transferir benefício da bolsa


O Tribunal Regional Federal da 1ª região confirmou sentença de primeiro grau que garantiu a um estudante beneficiado pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) a transferência da bolsa do curso de psicologia para o de nutrição. Segundo a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), essa transferência só poderia ocorrer em cursos de áreas afins, argumento que foi utilizado pela instituição de ensino para negar o pedido do aluno para migração da bolsa.

Mas, de acordo com a decisão da desembargadora federal Selene de Almeida, “não existe óbice legal ao deferimento do pedido” e, ao contrário, “há disposição legal que corrobora o direito à transferência do benefício”. Ela se apoia em um artigo da lei do ProUni que permite, no momento de adesão da instituição ao programa, a permuta de bolsas entre cursos e turnos, restrita a um quinto do total de benefícios oferecidos.

O ProUni oferece bolsas de estudos que custeiam 50% ou 100% da mensalidade de alunos de baixa renda em instituições privadas de ensino superior. Para participar, é necessário ter cursado todo o ensino médio em escola pública ou estabelecimento privado com bolsa, além de atender aos critérios de renda do programa e atingir uma pontuação mínima no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Fonte: Correio do Estado

até breve

Petróleo e gás no Brasil


OSX lança hotsite para apresentar todas as informações sobre essa unidade.

O FPSO OSX-1, a primeira unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência de óleo e gás a integrar a frota da OSX, ficou pronto em Cingapura e iniciou sua viagem rumo ao Brasil. A duração prevista da viagem é de 40 a 50 dias.

Para apresentar informações completas sobre a unidade a OSX lançou o hotsite disponível no link [www.osx.com.br/osx-1]. Nesse hotsite, os internautas terão acesso aos dados técnicos do FPSO OSX-1 e informações sobre a sua viagem de Cingapura para o Brasil.

Cabe ao FPSO OSX-1 a missão de produzir o primeiro óleo da OGX, com produção prevista para começar durante o quarto trimestre deste ano. Afretado pela OGX pelo prazo de 20 anos, o OSX-1 será instalado na Bacia de Campos, na acumulação de Waimea. “Semana passada, participei com as equipes da OSX e da OGX da cerimônia de batismo do FPSO OSX-1 em Cingapura, simbolizando a entrega oficial da unidade, que é uma importante conquista para ambas as companhias”, afirma Carlos Bellot, Diretor de Afretamento e Serviços Operacionais da OSX.

O FPSO OSX-1 foi construído na Coréia e, sua customização, para atender às especificações técnicas solicitadas pela OGX e aos requisitos da legislação brasileira, ocorreu no estaleiro da Keppel, em Cingapura, que realizou a fabricação, modificação e aprimoramento do conjunto de módulos localizados sobre o casco do navio, conhecidos como “topside”. Ambos estaleiros têm forte reputação nas atividades que lhes foram atribuídas.

“Para nós da OSX, receber o FPSO OSX-1 representa o início de uma rotina que se repetirá dezenas de vezes daqui para a frente: a OSX entregando FPSOs e WHPs para a produção de petróleo e gás de nossa cliente OGX, e dos demais empreendedores dedicados a tornar realidade as descobertas petrolíferas que o Brasil tem conquistado,” conclui Luiz Eduardo Guimarães Carneiro, diretor presidente da OSX.

Fonte: Fator Brasil

até breve

Saúde: setor possui problemas que merecem atenção da ANS, diz Idec


Foi anunciada na última segunda-feira (22), pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), uma medida que incentiva os beneficiários de planos de saúde a participarem de programas de envelhecimento ativo. Ao se cadastrarem nesses programas, os beneficiários poderão receber descontos e até prêmios.

Para o Idec (Instituto de Defesa do Consumidor), o setor da saúde possui outros problemas que merecem mais atenção da Agência. Além disso, o Instituto explica que alguns pontos não ficaram claros.

Outros problemas

Apesar da relevância dos programas, o setor de planos de saúde possui outros problemas mais urgentes para serem solucionados. Entre eles, estão os problemas entre os profissionais de saúde e as operadoras, cobranças e reivindicações exigidas pelos consumidores.

Além disso, o Instituto também observou crescentes descredenciamentos, demora para marcação de consultas e exames, grande tempo de espera para atendimentos de urgência e emergência nos pronto-atendimentos credenciados, quebras de operadoras, constantes negativas de cobertura e aplicação de reajustes abusivos.

Medidas

Com as novas medidas, as operadoras de planos de saúde, sejam para planos individuais, familiares ou coletivos empresariais ou por adesão, deverão incentivar a inclusão dos consumidores nos programas, oferecendo bonificação ou premiação em troca. Tais benefícios serão gerados pela adesão, não podendo variar devido à idade ou doença preexistente.

Para os consumidores que participarem do programa de Envelhecimento Ativo ao Longo do Curso da Vida, poderá ser concedido desconto na mensalidade. Já para as participações nos programas de População-Alvo Específica e Gerenciamento de Crônicos, o consumidor ganhará prêmios. “Tanto os descontos nas mensalidades como prêmios deveriam poder ser concedidos a todos os programas, seja de promoção do envelhecimento ativo quanto os voltados à determinada população-alvo ou doentes crônicos”, explica a advogada do Idec, Juliana Ferreira.

De acordo com Idec, a ANS também deixou claro que esses programas somente poderão ser oferecidos aos planos de saúde foram contratados a partir de 1999 ou adaptados à Lei nº 9.656/98.

Para Juliana, apesar dos esclarecimentos da ANS, alguns pontos das medidas não ficaram claros para a população. De acordo com ela, não ficou claro na resolução quais atividades poderão ser exigidas ou previstas nos programas, nem quais as possíveis premiações serão concedidas. “Além disso, a ANS deve avaliar e homologar os programas que vierem a ser elaborados pelas operadoras, antes que sejam oferecidos aos consumidores”, completa.

Fonte: segs

até breve

Chávez ameaça nacionalizar bancos privados da Venezuela


O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, disse ontem (23) que tem não tem problema algum em determinar a nacionalização dos bancos privados. Segundo ele, a medida pode ser adotada caso os comandos dos bancos não cumpram as metas de financiamento para alguns projetos, especialmente aqueles considerados de pequeno porte. Ele desafiou a oposição a discutir os planos econômicos em curso no país

"Se eles [os banqueiros] não vão cumprir a lei, vamos fazer com que cumpram. Do contrário, nacionalizamos os bancos. Não tenho problema algum com isso, que cumpram e nada mais. Essa é a questão”, disse Chávez durante reunião do Conselho de Ministros.

De forma enfática, Chávez acrescentou que “[o governo da Venezuela] não pode mais cumprir o papel de tolo". Em seguida, disse que os bancos privados não podem deixar de "responder ao financiamento de projetos para os pequenos produtores."

Chávez ainda desafiou a oposição a apresentar seu plano econômico para ser discutido antes das eleições do próximo ano, quando tentará a reeleição. "Temos o nosso plano e vamos debater”, disse ele.

Fonte: Agência Brasil

até breve

Eike estuda parceria para ligar porto de Açu a ferrovias da Vale


O empresário Eike Batista, do grupo EBX, afirmou que estuda uma parceria com a Vale para interconectar o porto do Açu com ferrovias administradas pela mineradora.

Segundo ele, apesar de a Vale e empresas do grupo EBX concorrerem em alguns segmentos, a interligação é uma boa oportunidade para melhorar a logística das empresas e do país.

Esse projeto envolveria as ferrovias FCA (Ferrovia Centro Atlântica) e MRS Logística, administradas pela Vale.

"Em breve, vocês terão novidades. Quem sabe amanhã, no final do dia", disse ele sem revelar valores nem o prazo para implantação do projeto.

"Seria uma oportunidade de conectar o Açu à Minas Gerais, São Paulo e muito mais. Temos que aproveitar a força dessas empresas, pararmos de discutir porque somos eventuais concorrentes e pensar: se o resultado é bom para o Brasil e dá para ganhar dinheiro, é bom", afirmou Eike.

Ele antecipou que a sua empresa está realizando estudos sobre potenciais volumes de cargas que seriam transportadas a partir da interligação, para apresentar à mineradora.

"Eventualmente poderíamos participar com alguma parte do investimento, para fazê-la (a interconexão), que achamos adequado. O problema do empresário brasileiro é sempre: vai fazer um puxadinho? Não, não vou não. Se puder, uma estrada de ferro de bitola larga para conectar com o Brasil inteiro é muito melhor", disse Eike.

Segundo ele, o projeto conceitual prevê a construção de um ramal de aproximadamente 40 km ligando a cidade de Campos até o porto do Açu, e o corredor litorâneo já existente teria que ser reativado.

O porto do Açu, localizado na cidade de São João da Barra, no Norte Fluminense, deve começar a operar no ano que vem.

O projeto prevê a criação no local de um pólo industrial voltado para a produção de navios de grande porte, equipamentos para indústria de óleo e gás e do setor automotivo.

Segundo Eike, com a expansão do mercado de petróleo e gás no Brasil, a indústria de produção de automóveis está perdendo espaço para a indústria de máquinas e equipamentos voltados ao mercado petrolífero.

"O mercado de óleo e gás está crescendo, e bombas, compressores e motores à diesel, todos os equipamentos necessários para uma unidade de produção de petróleo, ainda não são fabricados no Brasil", disse.

Fonte: Reuters
atébreve

Trabalho escravo se repete em Campos dos Goytacazes


Entre as 20 pessoas submetidas à escravidão, cinco eram adolescentes com menos de 18 anos de idade e seis eram mulheres. Nas frentes de trabalho de capina em canaviais e cultivo de grama, não havia água potável nem banheiro.

Fiscalização trabalhista libertou 20 pessoas de condições análogas à escravidão, incluindo cinco adolescentes entre 16 e 18 anos de idade e seis mulheres, em Campos dos Goytacazes (RJ). Realizada no início de junho pelo grupo interinstitucional - formado pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e Polícia Rodoviária Federal (PRF) -, a ação foi motivada por denúncia telefônica às autoridades.

De acordo com Marcela Ribeiro, procuradora do trabalho no município do Norte fluminense, as condições encontradas na Fazenda Lagoa Limpa eram degradantes. Os empregados rurais não recebiam água potável durante todo o dia de trabalho. Não havia instalações sanitárias nas frentes de trabalho. Também não havia local adequado para as refeições e nem para armazená-las, já que os empregados traziam a comida de casa. As vítimas trabalhavam sem Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e não tinham a Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) assinadas.

A propriedade fiscalizada pertence a Walter Lysandro Godoy, que era responsável por dois trabalhadores que realizavam a limpeza do mato que nasce entre as fileiras da plantação de cana-de-açúcar. Os outros plantavam grama para a empresa Jardim do Éden Indústria e Comércio Ltda. ME.

Os empregados eram moradores da região de Campos dos Goytacazes (RJ) e trabalhavam no local desde abril. O MTE lavrou 13 autos de infração. As verbas rescisórias pagas a cada trabalhador superaram a quantia de R$ 1 mil. Os trabalhadores libertados também devem receber o Seguro Desemprego para Trabalhador Resgatado. A reportagem tentou, mas não conseguiu contato telefônico com os envolvidos no ocorrido.

Após o flagrante, os empregadores assinaram Termos de Ajuste de Conduta (TAC) se comprometendo a cumprir integralmente a legislação. Eles pagaram indenizações a título de dano moral individual e R$ 7,5 mil relativos ao dano moral coletivo. O valor será destinado a uma campanha publicitária para divulgação dos direitos dos trabalhadores rurais.

Nos últimos anos, uma série de operações verificaram a exploração de mão de obra escrava em fazendas da região de Campos dos Goytcazes (RJ), em especial no pesado trabalho nas lavouras de monocultivo de cana.
até breve

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Vida saudável poderá render desconto no plano de saúde


Resolução da ANS incentiva a concessão de descontos e bônus para os usuários de planos de saúde que participarem de programas de alimentação saudável e atividades físicas

Vacinação em dia, aleitamento materno, controle do tabagismo, alimentação saudável e prática de exercícios físicos. Para a Agência Nacional de Saúde, essas são apenas algumas das atividades que podem, a partir de agora, render descontos nos planos de saúde.

Nesta segunda, a ANS publicou uma resolução normativa que incentiva a participação dos beneficiários nos chamados programas de envelhecimento ativo. Em troca, os usuários podem ganhar uma redução de até 30% na mensalidade. Também será possível embolsar prêmios adicionais, como a sofisticação na cobertura do plano ou benefícios em farmácias e drogarias. A orientação vale tanto para os planos individuais quanto para os planos coletivos, sejam ofertados por empresas ou associações.

Como a norma não é obrigatória, contudo, cabe às operadoras decidirem se vão ou não oferecer essa possibilidade daqui para frente. Para a concessão do bônus, o único pré-requisito deverá ser a própria adesão ao programa. Assim, o cumprimento de determinado resultado, como o emagrecimento ou a adequação aos limites máximos de colesterol, por exemplo, não poderá ser fixado como meta. Faixa etária ou existência prévia de doença tampouco poderão barrar a distribuição dos descontos.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, as doenças crônicas no Brasil são responsáveis por cerca de 70% das causas de morte no país. Na visão da ANS, a prevenção com base nos cuidados de saúde pode inverter a lógica existente no setor, calcada antes no tratamento que no cuidado com a saúde. "Estamos, pela primeira vez, buscando alinhar incentivos econômicos com o objetivo de promoção de saúde", afirma Mauricio Ceschin, diretor presidente da ANS.

A resolução normativa ficou em consulta pública por trinta dias e recebeu mais de 14 mil contribuições, sendo 70% delas encaminhadas pelos usuários dos planos de saúde.
Fonte: EXAME
até breve

Guarda Municipal reforça policiamento na escola onde professora foi ameaçada no norte do Estado



A Guarda municipal de Campos dos Goytacazes, no norte do Estado do Rio de Janeiro, reforçou nesta terça-feira (23) o policiamento na Escola Municipal Lions 1, no parque Santa Rosa, onde os alunos estão sem aula desde segunda-feira (22). Os professores pararam de trabalhar em protesto pela falta de segurança.

A mobilização começou depois que um aluno ameaçou uma estudante e uma professora na última sexta-feira (19). O aluno, que está sendo acompanhado por assistentes sociais da cidade, é conhecido no colégio por seu comportamento arredio. Em abril o adolescente de 14 anos teria enfrentado problemas em uma outra escola, onde foi suspenso por indisciplina e depois teria tentado invadir o colégio dizendo que estava armado.

A ameaça à professora e à aluna foi registrada na Delegacia de Guarus (146ª DP). A direção do colégio informou que já acionou o Ministério Público e que marcou para essa quarta-feira (24) uma reunião com os pais para definir a situação. Os professores falaram que só voltam às aulas quando se sentirem seguros.

Fonte: R7

até breve

Das telas de cinema para as mãos dos policiais brasileiros


Feira de equipamentos de segurança mostra itens de alta tecnologia que podem ser empregados na Copa de 2014 e nos Jogos Olímpicos de 2016.

Equipamentos futuristas, saídos diretamente de filmes de ficção científica, chamam a atenção dos visitantes da 11ª Feira Internacional de Tecnologia, Serviços e Produtos para a Segurança Pública (Interseg), que termina nesta terça-feira no Riocentro, no Rio de Janeiro. E os olhos de todos estão realmente voltados para o futuro, especialmente para 2014, quando o Brasil sediará a Copa do Mundo, e 2016, quando o Rio será palco das Olimpíadas. Logo no primeiro dia de feira, no domingo, o secretário de segurança do Estado do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, visitou o evento acompanhado do titular da Secretaria Extraordinária para Grandes Eventos, José Ricardo Botelho. Nesta segunda-feira, Botelho voltou para saber mais detalhes sobre alguns equipamentos específicos para a criação de um centro de controle.

No estande da Harris do Brasil, Botelho conheceu um item que parece inspirado em tramas da ficção. Entre eles um capacete que lembra os equipamentos dos policiais de Minority Report, de Steven Spielberg, em que Tom Cruise encarna um policial de uma divisão que ‘prevê’ crimes. “Somos os maiores fornecedores de tecnologia de informação para a área militar em todo o mundo. Estamos em todas as operações que o Exército Americano leva adiante, há muitos anos. O que estamos fazendo aqui é mostrar como passamos essa tecnologia militar para a área de segurança pública. Fazemos, por exemplo, o Superbowl”, comenta Eduardo Kamigauti, diretor da área de comunicação e rádio-frequência da empresa.

O que leva a crer que esse tipo de dispositivo deixou de ser fantasia é que ele não está sozinho, e tem concorrentes no pavião do Riocentro. O Falcon é muito semelhante ao Golden-I, da Motorola Solutions. Ambos parecem headphones. Mas um visor na frente dos olhos funciona como uma tela de computador. No caso do produto da Motorola, recém-lançado, o computador opera por comando de voz, e é capaz de mostrar vídeos, fotos, documentos, arquivos e o que mais se imaginar. Na demonstração, ele aparece integrado a um centro de comando e controle – um telão subdividido em 18 partes, com vídeos, fotos, documentos e mapas, que faz o visitante se sentir dentro da sala de comando do filme Jogos Patrióticos, ao lado de Harrison Ford.

“Nós montamos o centro de comando dos Jogos Pan-Americanos de 2007, no Rio, quando estivemos ligados a 16 mil câmeras espalhadas na cidade. Montamos também os centros das Olimpíadas de Atenas e Pequim e da Copa do Mundo da África. Vamos estar em Londres ano que vem”, afirma o presidente da empresa no Brasil, Eduardo Stéfano, explicando a integração entre o centro e o Golden-I: “Um policial com o Golden-I que parou um cidadão numa blitz pode pedir, por comando de voz, a ficha completa dele e receber na mesma hora em sua telinha, por exemplo”. A empresa apresentou também sensores de movimento que permitem que se meçam batimentos cardíacos e respiração de policiais e bombeiros em situação de risco e anunciou um convênio de seis meses com o Exército brasileiro para a realização de um teste de banda larga 4G – ainda não aprovada no Brasil, mas em teste, com autorização da Anatel.

No estande da Berkana, um robô chamado FoxRayzor se exibia pegando e examinando bolsas no chão. Criado com tecnologia brasileira, o robozinho é um sistema de inspeção por raio-x usado para detectar a presença de bombas. Dirigido remotamente, ele evita que policiais e militares de esquadrões anti-bombas se exponham ao perigo antes de saber com o que estão lidando. Mais ou menos nos moldes do que fazia o robô de Guerra ao Terror, filme premiado com o Oscar no ano passado. “Nós hoje já recebemos uma solicitação para desenvolver um modelo menor, que funcione como um guia de cães farejadores”, disse um dos criadores do FoxRayzor, Marcus Vinícius da Silva.

Num momento em que se discutem formas menos violentas de controle do crime, a Condor apresentou a Spark, primeira arma de descarga elétrica fabricada no Brasil – somente empresas dos Estados Unidos e China as produziam. Na Black Bee, o conceito de totens de autoatendimento chega ao ambiente policial. Vítimas de pequenos crimes, como furtos, e de acidentes de trânsito sem vítimas ou de perda e extravio de documentos podem preencher um cadastro no totem-delegacia e receber, impresso na hora, o boletim de ocorrência. Comum nos Estados Unidos e em alguns países da Europa, o totem por enquanto só existe na entrada de delegacias de São Paulo. Mas pode ser instalado em estádios, pontos turísticos e aeroportos, entre outros locais.

Visitada por muitos militares e autoridades policiais, a feira acontece concomitantemente à 9ª Conferência Executiva de Segurança Pública para a América do Sul da IACP (Associação internacional dos Chefes de Polícia), visitada nesta segunda-feira por Beltrame e pelo comandante-geral da Polícia Militar do Rio, Mário Sérgio Duarte. “Muito material de tecnologia de segurança que estamos vendo aqui provavelmente será usado nos grandes eventos que temos pela frente”, acredita Mário Sérgio.

Fonte: veja

até breve

Higiene e beleza abrem espaço a mais empreendedores


Para consultora, há boas oportunidades para prestação de serviços e no atendimento a nichos de mercado

Em 2001, Leonard Lauder, então presidente da grife norte-americana de cosméticos Estée Lauder, criou o chamado ‘Índice Batom’, ao detectar que as vendas do produto subiram durante a crise que se abateu sobre os Estados Unidos após a tragédia dos atentados a Nova York, em 11 de setembro. Para ele, o motivo desse aumento seriam os baixos preços, que tornavam o batom uma fonte de prazer acessível em tempos difíceis.

Mesmo não reconhecido por economistas, o indicador ilustra uma realidade da indústria de beleza, cosméticos e higiene ao redor do mundo. Com ou sem crise, ela não para de crescer. Só no Brasil, esse segmento registrou faturamento de R$ 27,3 bilhões no ano passado e cresceu a uma média de 10,4% ao ano nos últimos quinze anos, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec).

O Brasil é hoje o terceiro maior mercado desse segmento, atrás apenas do Estados Unidos e do Japão. E quem atende parte dessa demanda são as pequenas empresas. Das 1.659 indústrias do setor, apenas 14 são de grande porte – mas ainda responsáveis por 73% do faturamento.

Com o crescimento do consumo e do poder de compra das classes C e D, o aumento do poder aquisitivo das mulheres e o envelhecimento da população em um momento no qual o culto à beleza é cada vez maior, as oportunidades de negócio são ainda maiores. Mas, para ganhar mercado, a pequena empresa precisa se diferenciar. “Há bastante espaço para prestação de serviços e no atendimento a nichos de mercado”, diz Elderci Garcia, consultora do Sebrae-SP.

O empresário Alexandre Seródio, de 36 anos, primeiro investiu em um salão de cabeleireiros, sem sucesso. Com os produtos que sobraram, criou o Belezanaweb, site especializado na venda de produtos profissionais para cabelo, que faturou R$ 8 milhões em 2010. “Nós vendemos segurança e autoconfiança. A brasileira se cuida mais do qualquer outra mulher no mundo”, afirma.

Para ganhar a atenção dos consumidores, ele posicionou o site como uma espécie de conselheiro online: apresenta aos interessados conteúdo informativo que ajuda a diagnosticar o melhor produto para cada tipo de cabelo. “Na área de beleza, se você demonstra confiança, o cliente se torna fiel”, diz.

Mas isso não significa que esse ramo aceite aventureiros. “Diversas empresas surgem e fecham todos os anos. Quem quer sucesso, precisa entender do negócio”, conclui.

Diferenciação

Já no setor de higiene também há oportunidade para pequenos empreendimentos. Mas, para evitar a concorrência, a necessidade de vender algo inovador é maior. Wesley Gomes, de 33 anos, por exemplo, apostou na revenda de soluções de higiene para empresas e estabelecimentos comerciais.

Após conhecer em Curitiba o fabricante de um dispenser de fio dental para ser instalado em banheiros coletivos, investiu com um sócio apenas R$ 300 para trazer o produto para São Paulo. Em pouco tempo, aumentou o portfólio de produtos, que hoje inclui itens como odorizador de ambientes. “No mercado de higiene, todo mundo vende a mesma coisa e briga por preço. Se você tem algo exclusivo, consegue crescer”, diz o empreendedor. No ano passado, sua empresa, a Wesco, faturou R$ 2 milhões.

Fonte: Estadão

até breve

Exame toxicológico diz que Amy Winehouse não havia consumido drogas


O exame toxicológico do corpo da cantora britânica Amy Winehouse concluiu que ela não havia consumido substâncias ilegais no momento de sua morte, segundo um porta-voz da família.

Em nota, a família diz que o resultado do exame indica que a cantora havia consumido álcool, mas que ainda não se sabe qual o papel que isso teve em sua morte.

O inquérito sobre as circunstâncias da morte de Amy Winehouse, cujo corpo foi encontrado em sua casa no dia 24 de julho, deverá ser concluído em outubro.

A cantora, de 27 anos, lutava contra o vício do álcool e das drogas, mas a autópsia não revelou dados conclusivos sobre a causa de sua morte.

No comunicado oficial, a família agradeceu a polícia "pela continuidade nas investigações e por mantê-los informados durante todo o processo".

Após a cremação de Amy Winehouse houve um aumento de venda de seus álbuns e o disco Back to Black atingiu o topo das paradas de sucesso da Grã-Bretanha.
Fonte: BBC
até breve

Mantega: Brasil tem "bala na agulha" para responder a eventual crise


Ao participar ontem (22) à noite, em São Paulo, de evento em homenagem a economistas, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que caso a situação econômica mundial se agrave, o Brasil tem “muita bala na agulha" para responder a uma eventual crise que necessite de estímulos monetários e fiscais.

“Para enfrentar essa crise internacional, devemos continuar fazendo uma consolidação fiscal. É fundamental ter uma situação fiscal sólida em um momento como este. E o governo busca essa consolidação, elevando o resultado primário”, disse o ministro durante evento promovido pela Ordem dos Economistas do Brasil.

De acordo com Mantega, o governo vai continuar “fazendo bons resultados fiscais”, cada vez mais sólidos. Esse, segundo ele, é um pedido da presidenta Dilma Rousseff. “Essa consolidação fiscal deve se fazer, sobretudo, pela contenção de gastos de custeio, para ficar mais espaço para manter investimentos e possibilitar desonerações tributárias”, acrescentou.

O ministro lembrou que a consolidação fiscal “não é para derrubar a economia”, mas para permitir um crescimento mais sólido e de longo prazo. “Reduzindo os gastos de custeio, podemos fazer mais investimento e abrir espaço e condições para que, no futuro, a taxa de juro possa ser reduzida”.

Mantega disse ainda que será preciso estabelecer nova relação entre a política fiscal e a política monetária, “deixando a política monetária mais ativa e a fiscal, mais na defensiva”.

Segundo o ministro, a crise de 2008 ainda não terminou para os países avançados e pode novamente se transformar numa crise de bancos (financeira). Segundo ele, o cenário econômico de países desenvolvidos como os Estados Unidos e a Europa pode pressionar a economia mundial e intensificar a guerra cambial e a busca por novos mercados.

“Neste cenário de baixo crescimento, temos falta de mercado para manufaturados. Portanto, os países estão entrando numa disputa feroz pelos poucos mercados que existem. E o nosso é um dos poucos disponíveis. Estamos partindo para uma concorrência predatória”, disse o ministro.

Segundo ele, a guerra cambial tende a recrudescer neste período e continuar crescendo porque as soluções não estão sendo dadas. “Uma arma que todos os países estão usando é a manipulação cambial para terem competição e ocuparem os mercados de outros países”, acrescentou.

“Podemos observar que a economia americana não está tendo a recuperação que esperávamos após a crise de 2008, caminhando em passo lento, que poderá desembocar numa recessão; do lado europeu, a coisa não está melhor. Eu diria até que está pior: há um ritmo baixo de crescimento e uma crise da dívida mais aguda que nos Estados Unidos”, disse o ministro aos economistas.

Para ele, a previsão é que os países desenvolvidos, nos próximos dois anos, continuem apresentando ritmo lento de crescimento. “Os emergentes estão melhores, principalmente os dinâmicos, mas não estão isentos dessa crise”.

Apesar desse cenário, Mantega disse que o Brasil está preparado para enfrentar a situação. “Mais preparado do que em 2008”, disse ele, lembrando que o país tem reservas maiores que na crise anterior, um mercado interno “valioso” e depende bem menos do mercado externo que outros países, como a China.

Fonte: Agência Brasil

até breve

FGV: alimento sobe 0,55% e puxa inflação pelo IPC-S


Pela segunda semana consecutiva, Alimentação foi a classe de despesa que mais contribuiu para a formação da taxa do Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S), que passou de 0,17% para 0,31%, entre a segunda e a terceira quadrissemana de agosto. Segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV), os preços dos alimentos aceleraram fortemente no período, de 0,14% para 0,55%.

Entre os alimentos, foram apurados aumentos mais fortes em itens de peso no cálculo da inflação varejista. É o caso de frutas (de 2,83% para 5,70%) e carnes bovinas (de 0,45% para 1,20%).

As outras classes de despesa que apresentaram aceleração ou fim de queda de preços no período foram Habitação (de 0,35% para 0,38%), Educação, Leitura e Recreação (de -0,04% para 0,12%), Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,34% para 0,36%) e Transportes (de 0,07% para 0,08%). Dois grupos tiveram queda mais intensa ou desaceleração de preços. É o caso de Vestuário (de -0,47% para -0,63%) e Despesas Diversas (de 0,08% para 0,04%).

Entre os produtos pesquisados, as mais expressivas altas de preço foram apuradas em limão (84,43%), aluguel residencial (0,76%) e leite tipo longa vida (2,22%). Já as mais expressivas quedas de preços foram registradas em batata-inglesa (-23,28%), alho (-6,83%) e cebola (-8,51%).

Fonte: Diário do Grande ABC

até breve

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Nova programaçã​o Web Rádio Saúde - Ministério da Saúde


A partir desta segunda-feira teremos uma nova Web Rádio. E o min. Alexandre Padilha irá participar,às 10h. Mande sua dúvida sobre saúde para nós, que o Ministro vai responder a sua pergunta ao vivo #WebRádioSaúde

Abraços,

Gabriella Vieira
Núcleo de Comunicação Interativa
ASCOM- Gabinete do Ministro
Ministério da Saúde

gabriella.silveira@saude.gov.br
(61) 3315-2779
_ _ _
até breve

Diário Oficial publica mudanças sobre propaganda de serviços médicos


O Conselho Federal de Medicina (CFM) quer conter os anúncios de propaganda enganosa, serviços equivocados e autopromoção dos profissionais

Uma espécie de manual de critérios e regras mais rigorosos para a propaganda referente a serviços médicos está publicada no Diário Oficial da União deste a última sexta-feira, 19. Com a resolução, o Conselho Federal de Medicina (CFM) quer conter os anúncios de propaganda enganosa, serviços equivocados e autopromoção dos profissionais médicos.

Os profissionais e as entidades têm 180 dias para se adaptar à nova resolução, que atualiza as normas anteriores, vigentes desde 26 de setembro de 2003. No total, são 15 artigos e a resolução é assinada pelo presidente do CFM, Roberto Luiz D'Ávila, e o secretário-geral do conselho, Henrique Batista e Silva.

"Todo aquele que mediante anúncios, placas, cartões ou outros meios quaisquer se propuser ao exercício da medicina, em qualquer dos ramos ou especialidades, fica sujeito às penalidades aplicáveis ao exercício ilegal da profissão, se não estiver devidamente registrado", diz a resolução.

Pelas novas determinações, os médicos estão proibidos de anunciar o uso de técnicas “milagrosas” ou aparelhos com capacidade privilegiada. Os profissionais também não poderão participar de concursos ou premiações para eleger o médico do ano, o destaque ou o melhor médico.

Nos anúncios, estão proibidas as imagens dos pacientes informando sobre os resultados de um tratamento - os conhecidos antes e depois, mesmo se houver autorização do paciente. Está vetado o uso do nome, a imagem e a voz de celebridades em propagandas de serviços médicos.

Também está proibida a concessão de entrevistas para autopromoção e a divulgação de endereço e telefone do consultório nas redes sociais. Pela resolução do conselho, o profissional poderá usar as redes sociais para a divulgação de informações de caráter educacional ou preventivo, como descrever os sintomas de determinada doença.

De acordo com a resolução, os médicos também não poderão dar consultas pela internet ou por telefone, mesmo se for para atender parentes. A regra visa a impedir o oferecimento de consultas online para prescrição de remédios.

O manual com os critérios e as regras se aplicará às sociedades médicas, aos hospitais públicos e privados, além das clínicas e casas de saúde. Em caso de descumprimento, será aberto um processo pelo conselho para apurar a denúncia. Se comprovada, o médico ou a entidade sofrerá penalidade, que vai de advertência à cassação do registro.

Fonte: Infonet

até breve

Primeira FPSO da OGX sai de Cingapura, chega a Campos em outubro


A primeira plataforma da OGX, braço de petróleo do grupo EBX, do empresário Eike Batista, ficou pronta em Cingapura e chega ao Brasil em outubro para produzir o primeiro óleo da empresa no campo de Waimea, na bacia de Campos.

Com preço de afretamento de 263 mil dólares por dia, o FPSO OSX-1 também é a primeira unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência de óleo e gás a integrar a frota da OSX, empresa do grupo EBX dedicada a arrendar e comprar plataformas para a campanha da OGX.

De acordo com o diretor geral e exploração e produção da OGX, Paulo Mendonça, a licença ambiental prévia para a instalação da plataforma está sendo aguardada para a próxima semana, e entre outubro e novembro o primeiro óleo de Waimea será extraído.

'Estamos trabalhando fortemente na licença e hoje mesmo o Ibama ficou de dar a resposta sobre o nosso relatório', disse Mendonça à Reuters. 'A coisa está bem encaminhada.'

Segundo o executivo, o valor pago pela afretamento da unidade mostra que pelo menos o setor de petróleo não vem sendo afetado pela crise.

'Está na faixa do que previmos no IPO , entre 250 e 300 mil (dólares), está bem na faixa... o petróleo não mudou o preço, é uma crise que parece ser mais de confiança, porque o petróleo está sendo produzido nos campos, as empresas continuam contratanto plataformas...', avaliou Mendonça, descartando problemas para o início da operação da OGX este ano.

'O mundo real continua exatamente como estava', finalizou.

(Por Denise Luna)

Fonte: MSN

até breve