sexta-feira, 29 de julho de 2011

Isso que é prejuízo... mas com um certo requinte!


Motorista bate em Mercedes, Ferrari, Porsche e Aston Martin em Mônaco

Acidente envolvendo carros de luxo atraiu centenas de turistas. Imagens foram publicadas em diversos sites e blogs de internet.

A motorista de um Bentley Azure provocou um acidente com outros quatro veículos de luxo no Principado de Mônaco. A mulher colidiu contra uma Mercedes S Class, uma Ferrari F430, um Porsche 911 e um Aston Martin Rapid. O acidente atraiu centenas de turistas. Imagens foram publicadas em diversos sites e blogs de internet.

Fonte: G1

até breve

O que esperam o governo e o Ministério Público para aplicar a lei aos quadrilheiros e recuperar o produto do roubo?


Abstraídos os comparsas, os parentes e os patrocinadores oficiais, desta vez ninguém se atreveu a afrontar a inteligência dos brasileiros decentes com a reapresentação do ato mais surrado do espetáculo do cinismo. Nem a tropa de choque do Senado, a tropa do cheque da Câmara e a diretoria do grande clube dos cafajestes irromperam no palco para a lengalenga costurada em torno da inocência até prova em contrário, do direito de ampla defesa, do devido processo legal. Nem mesmo Lula suou a camisa no palanque em defesa dos quadrilheiros que agiram durante oito anos e meio no Ministério dos Transportes, sob as bênçãos do Padroeiro dos Companheiros Pecadores.

A presidente Dilma Rousseff precipitou o despejo dos chefões do bando, iniciado logo depois das revelações feitas por VEJA, para não reeditar a exasperante agonia do ex-ministro Antonio Palocci. Ampliou a lista dos demitidos ao constatar, em pesquisas encomendadas pelo Planalto, a exaustão de milhões de brasileiros com as dimensões da roubalheira. Dilma foi longe demais: os quadrilheiros já não podem reivindicar a prescrição do crime por perda de emprego. A malandragem não é aplicável a quem embolsou quantias de deixar ruborizados até o asfalto que se desmancha nas estradas do Dnit, é coisa de empalidecer de espanto até os trilhos inexistentes da Valec. Ao afastar os bandidos, o governo não fez mais que a obrigação. É quase nada.

E será rigorosamente nada se parar por aqui o castigo que mal começou. É preciso recuperar ao menos parte da imensidão de dinheiro roubado pela organização criminosa formada por donos de órgãos públicos com orçamentos obesos, empreiteiras, consultorias e outras abjeções. É preciso enquadrar os meliantes nos numerosos artigos legais que violaram. É preciso mostrar ao Brasil que algo mudou ─ se é que algo tenha mudado.

Por enquanto, o governo limitou-se a determinar à Controladoria Geral da União que pedisse de volta R$ 8 milhões destinados às vítimas das inundações na Região Serrana do Rio e interceptados por meliantes acampados na prefeitura de Petrópolis. Tradução: os pagadores de impostos vão bancar também a conta das patifarias que já não poupam sequer flagelados. Quanto ao pátio de horrores no Ministério dos Transportes, o controlador-geral Jorge Hage fez só uma frase. Acha que o Dnit tem o DNA da corrupção.

O que espera o governo para exigir a devolução do produto do roubo? O que espera o Ministério Público para tomar providências que apressem a condenação dos culpados, todos merecedores de temporadas na cadeia e multas igualmente superlativas? A turma de Valdemar Costa Neto e Alfredo Nascimento vai desfrutar em paz do ócio sem dignidade? Os ladrões vão envelhecer em casa, com tempo e dinheiro de sobra? Se as perguntas não forem adequadamente respondidas, o país será o que é. Enquanto não houver na cadeia um só figurão corrupto, o Brasil será o paraíso dos bandidos de estimação.

Há quadrilhas demais. Todas em liberdade, todas sem motivos para perder o sono. A expansão da ladroagem federal é o ultrajante subproduto ─ tão previsível quanto a mudança das estações ─ da tolerância, negligência, da passividade e da conivência que sublinham o comportamento dos três Poderes.

Fonte: veja

até breve

FGV: uso da capacidade da indústria fica em 84,1%


O Nível de Utilização de Capacidade Instalada (NUCI) da indústria com ajuste sazonal mostrou desaceleração e ficou em 84,1% em julho, após registrar patamar de 84,3% em junho. Foi o menor nível desde fevereiro de 2010 (84,0%), segundo informou hoje a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Ainda segundo a fundação, na série de dados sem ajuste sazonal, o nível de uso de capacidade em julho foi de 84,0%, abaixo do apurado em junho, quando atingiu 84,1%, nesta mesma série.

Intenção de contratar

A intenção das empresas de contratar menos nos próximos meses ajudou a manter o Índice de Confiança da Indústria (ICI) em queda em julho, com recuo de 2%.

Das 1.174 companhias entrevistadas para o cálculo do indicador, o porcentual de pesquisadas que pretendem ampliar contingente de mão de obra no terceiro trimestre caiu de 30,2% para 23,7% de junho para julho, o menor ímpeto de contratações desde agosto de 2009, segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Nas respostas relacionadas ao presente, as empresas alertaram para o nível atual de estoques. A fatia de empresas que avaliam o nível de estoques como excessivo aumentou de 5,3% para 6,6% entre junho e julho, enquanto a parcela de empresas que o consideram insuficiente diminuiu de 3,3% para 2,2%, no mesmo período.

Fonte: Estadão

até breve

Lula, sobre saúde, diz que 'rico não precisa de governo'


Convidado pelo governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, para inaugurar a 42ª Clínica da Família, em Del Castilho, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva discursou na tarde desta quinta-feira para um público que gritava seu nome com entusiasmo. "O rico não precisa de governo. Quem precisa de governo é a parte mais pobre da população. O rico, quando o médico do Rio de Janeiro não atende bem, pega o avião e vai para Nova York, ou vai para Paris", afirmou.

Vestindo um terno sobre camiseta preta, Lula ressaltou a parceria com os governos estadual e municipal e afirmou que ambos devem priorizar a população pobre. Segundo ele, ainda, é mais fácil atender aos pedidos dos pobres do que os dos ricos: "quando um rico entra no seu gabinete, eles querem um milhão. Quando você encontra o pobre na periferia, tudo o que ele pede é respeito".
Falando sobre a parceria política entre Cabral e o prefeito do Rio, Eduardo Paes, Lula brincou e disse que os dois formam "um casal de companheiros". O público reagiu com risadas.

Sobre a Clínica da Família, Lula contou um drama pessoal com um filho seu que teria problemas nos quadris. Segundo o ex-mandatário, seu filho teve dificuldade para encontrar um médico disposto a operá-lo.

Fonte: JB

até breve

A contramão dos direitos e liberdades na Internet

Por Guilherme Varella*
Proteção, sim; violação de privacidade, não. Esse é o desejo dos consumidores brasileiros que navegam na Internet. E esse é o mote – mais que o mote, o alerta – que orienta a campanha lançada pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) na última terça-feira, contra o Projeto de Lei 84/99, que trata de crimes cibernéticos. A campanha “Consumidores contra o PL Azeredo” pretende chamar a atenção da sociedade para a ameaça que o PL 84 representa ao direito à privacidade e liberdade na rede, aos direitos dos consumidores no acesso aos produtos e serviços e no direito fundamental de acesso à cultura, à informação e à comunicação.

No Congresso desde 1999, o PL 84/99 segue na Câmara dos Deputados nos termos do texto substitutivo proposto pelo deputado Eduardo Azeredo (PSDB-MG). O PL Azeredo tramita em caráter de urgência na Casa e está prestes a ser votado no início de agosto, quando termina o recesso parlamentar. Se aprovado, desviando-se de sua pretensa função de combater os crimes na Internet, o projeto vai instaurar um cenário de vigilância e monitoramento na rede, restringindo sensivelmente os direitos e liberdades e criminalizando condutas que são cotidianas dos cidadãos no mundo virtual.

Para os consumidores, a aprovação do projeto traz consequências drásticas, especialmente se considerarmos que a Internet é inteiramente permeada por relações de consumo. Desde a conexão até o acesso a conteúdos em sites, produtos e serviços via comércio eletrônico, passando pela utilização de e-mails, plataformas colaborativas e redes sociais, em menor ou maior grau, tudo é relação de consumo e deve entendido na lógica da defesa dos direitos consagrados pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC).

Há 20 anos, esse mesmo CDC tenta fazer valer um de seus princípios básicos: a boa-fé. Pressupõe-se que todos são legítimos titulares de direitos e praticam seus atos cotidianos com base na legalidade, na confiança e no respeito. Por óbvio, essa premissa é válida também para a Internet. O que o PL Azeredo faz, no entanto, é inverter essa lógica. No lugar da presunção da boa-fé, instaura-se a constante suspeita. No lugar do respeito à privacidade dos dados e informações dos usuários, o projeto determina a sua vigilância constante, como se a qualquer momento fossem praticar um crime, um ato de vandalismo, uma atitude ilícita. Para o PL Azeredo, como norma penal que é, na Internet todos passam a ser suspeitos até que se prove o contrário.

Para possibilitar esse monitoramento, o texto do substitutivo dá aos provedores de acesso à Internet um “poder de polícia virtual”, coletando obrigatoriamente vários dados dos usuários e guardando-os pelo período exacerbado de três anos. Durante esse período, não se sabe exatamente o limite de utilização desses dados, pois não há regulamentação a respeito. Hoje, como inexiste no Brasil uma norma específica sobre proteção de dados pessoais, atribuir tamanho poder de manipulação de informações a esses atores dá margem a violações de privacidade e uso indevido dos dados, inclusive com interesses comerciais. Um fenômeno que já ocorre hoje – evidente em contratos e políticas de privacidade abusivas das empresas -, como apontou pesquisa recente do Idec, e que deve ganhar dimensões incontroláveis se não houver regulação específica anterior ao PL em tramitação.

Outra inconsistência extremamente prejudicial, que coloca a carroça do PL na frente dos bois, é a inversão da própria lógica jurídica sobre o estabelecimento de direitos na Internet. Como ultima ratio, o direito penal serve para criminalizar condutas que atinjam bem jurídicos protegidos e atentem contra direitos. Porém, antes de qualquer criminalização, por uma questão lógica, é preciso estabelecer quais são esses direitos. O Marco Civil da Internet, colocado em consulta pública pelo Ministério da Justiça e discutido abertamente pela sociedade, traz um avançado arcabouço civil para regulamentar não apenas direitos, mas princípios, valores, deveres e responsabilidades na rede. Sem essa determinação do espectro da cidadania virtual, é impossível estabelecer com exatidão as condutas passíveis de pena. Porém, é exatamente isso que o PL Azeredo faz.

E, assim, desastrosamente, passa a criminalizar ações triviais e cotidianas dos consumidores na Internet. Atos que praticamos todos os dias, a todo momento. Objetivando enquadrar os grandes criminosos da rede, o PL concede o status de criminoso a todo aquele que: desbloquear aparelhos que já adquiriu legitimamente (como Ipods e celulares), para utilizá-lo com aplicativos de outra empresa; habilitar programas específicos de comunicação na rede, como os de voz sobre IP (ex: Skype), muitas vezes bloqueados indevidamente pelas empresas de banda larga; e digitalizar músicas e filmes pelos quais já pagou, para uso em plataformas diferentes (como dvd players, softwares diversos e aparelhos portáteis). Todas essas ações, diga-se, completamente amparadas no direito à fruição integral dos produtos e serviços, à liberdade de escolha e à não subserviência a práticas abusivas, conforme disposto nos incisos II e IV do art. 6, do Código de Defesa do Consumidor (CDC). Porém, atropelando o CDC, o PL Azeredo impõe a pena de 1 a 3 anos de reclusão a todos esses “criminosos”, que somos nós, consumidores.

O cerceamento a direitos pelo PL 84/99 – que não por acaso recebeu a alcunha de AI-5 Digital, em alusão ao ato que suspendeu direitos civis na Ditadura Militar -, entretanto, não para por aí. Num país que ainda possui uma longa caminhada para garantir a inclusão digital da população, o PL vai no sentido oposto, restringindo, de antemão, um potencial direito: o direito à Interner banda larga, universalizada, em todos os territórios brasileiros. Com imensas barreiras econômicas e geográficas para a infraestrutura de rede em várias regiões, poderíamos contar com políticas públicas de acesso via redes sem fio, de forma eficiente e desburocratizada. Porém, a obrigação imposta pelo PL, de cadastro obrigatório de todos os acessos e de concentração das informações nas mãos dos provedores, como explica o professor Tulio Vianna, burocratiza o processo e elimina sumariamente essa possibilidade.

Por fim, talvez o maior retrocesso trazido pelo PL Azeredo esteja no campo cultural. Primeiro, em seu aspecto mais estrito, de produção artística e cultural. O caráter recrudescedor e punitivo do projeto acaba limando as possibilidades de trocas simbólicas, de compartilhamento, de liberdade de acesso a informações e conteúdos trazidas pela Internet e pelas tecnologias digitais – inclusive com repercussões muito negativas no que tange à inovação, conforme apontou estudo do Centro de Tecnologia e Sociedade, da Fundação Getúlio Vargas.

Depois, na esfera cultural mais ampla, que se refere ao comportamento dos indivíduos e à própria cultura de utilização da rede. Para o direito do consumidor, uma interferência muito séria e perniciosa. Durante todos os anos que antecederam a Internet, o consumidor permaneceu numa posição passiva, de simples recepção e assimilação dos produtos, serviços, conteúdos e informações, sem qualquer possibilidade de questionamento.

Com o advento da cultura digital, baseada na liberdade, interatividade, construção colaborativa e comunicação em rede, o consumidor passa a ocupar uma posição política ativa, não apenas de questionamento do que recebe, mas igualmente de produção de informação e conteúdos. Na rede, a cultura consumerista adquire potencial crítico e os consumidores passam a ser protagonistas de suas relações, possuindo mais ferramentas para exercer a cidadania e exigir seus direitos. Isso tudo, naturalmente, se lhes for garantido os direitos fundamentais à liberdade e à privacidade. Justamente os direitos que lhe são arrancados pelo PL Azeredo. E aqui, o principal motivo para não ser aprovado. Se o for, teremos fatalmente uma lei na contramão dos direitos e liberdades na Internet.

*Guilherme Varella é advogado formado pela Faculdade de Direito da USP e mestrando em políticas públicas de cultura pela mesma. Foi diretor do Núcleo de Cursos do Instituto Pensarte e coordenador cultural da Caravana da Saúde, Educação e Cultura, parceria da União Nacional dos Estudantes com o Ministério da Saúde. É especialista em direito autoral e acesso à cultura e ao conhecimento.

Fonte: Carta Capital

até breve

Dilma manda recado aos aliados


O secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, foi o emissário escolhido pela presidente Dilma Rousseff para mandar um recado à base aliada ao governo. Diante da insatisfação do PR por conta da faxina que vem sendo feita no Ministério dos Transportes, e das reclamações do PMDB, que acusa o PT de fazer “ameaças veladas” de investigação, Carvalho afirmou que a presidente, até prova em contrário, confia em todos os aliados, mas que ela não vai tolerar desvios de conduta.

O G1 conta:

“A cada denúncia que aparece, o que a presidenta faz é determinar um processo de investigação, uma vez que ela decidiu que o governo não pode conviver com práticas que firam a ética e o interesse público. Portanto, seja o PMDB, seja o PT, qualquer partido está sujeito à investigação se houver um erro. A única maneira de não sofrer investigação é não cometer erro, não cometer impropriedades. E a gente acha que essa mensagem está muito bem passada para o conjunto da esplanada”, disse Carvalho.

Fonte: Época

até breve

Presidentes de bancos centrais e ministros da Fazenda da Unasul vão avaliar economia mundial


Os 12 membros da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) estão discutindo uma estratégia comum para enfrentar os impactos, na região, da crise nos Estados Unidos e em países da União Europeia (UE). Nos próximos dias 11 e 12 de agosto, os presidentes dos bancos centrais e os ministros da Fazenda de países da Unasul se reunirão em Buenos Aires para avaliar a economia mundial.

O tema foi discutido em Lima ontem (28) em Lima, no Peru. No mesmo dia em que assumiu a Presidência do país, Ollanta Humala participou de uma reunião extraordinária de chefes de Estado da Unasul.

Dos 12 presidentes, nove participaram, entre eles Dilma Rousseff. No seu discurso, a presidenta brasileira propôs uma maior integração para proteger a região das consequências da crise nos países desenvolvidos. Uma delas é a invasão de produtos manufaturados. “Sem ter para quem vender, os países industrializados em crise buscarão novos mercados para seus produtos. Mas os países da Unasul, destacou Dilma, deveriam se proteger dessas "avalanche" e criar mecanismos para fortalecer o comercio regional.

Fonte: Agência Brasil

até breve

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Ivan Lessa: Celebs


Baixou-me, como um exu exibido, um espírito tabloidiano. Continuo sob a influência de Rupert Murdoch e suas artes negras e, em tudo que vejo e leio, faço-o sob a lente – ou viés, que me ensinaram ser a forma mais chique e atual de se ver ou notar algo no Brasil – do sensacionalismo.

Passados os horrores do fim-de-semana passado, que nem penso em rememorar, volto-me para o que sobrou do mundo e o que ele tem a me oferecer em matéria de leviandades, que de leviandade boa parte de nós é posta e composta.

De bom, um ou outro filme em DVD, a ressurecta série Futurama, precocemente falecida e agora em boa hora revivida. Não sei se faz sucesso aí. Mas, e eu vos juro, é do Matt Groening, o mesmo criador dos Simpsons, e bem melhor, mas bem melhor mesmo que a desfuncional família.

Um ou outro livro. Sempre releituras, que o que se passa nessas festas ou festivais e tardes ou noites de autógrafos não é mais que festança exibida, para não dizer exibicionista.

Sejamos francos: o último autor decente editado, em qualquer parte do mundo, foi Robert Musil. O resto são meras celebridades.

E chego ao ponto onde deveria ter começado a armar minha barraquinha e por-me a vender minhas taínhas magras. Celebridades. A cultura da celebridade, para cunhar um contrasenso.

Tabloides, imprensa sensacionalista: vão de sangue e/ou de celebridades. Que existem sem as aspas que o destino, esse grande pregador de peças, lhes destinou, mas a mídia impressa, sempre mal intencionada, lhes roubou.

Há celebridades no mundo inteiro celebrizando-se 24 horas por dia, 7 dias por semana. Em todas as posições possíveis, se Kama Sutra de celebridades houvesse.

São célebres principalmente por serem jovens (18 aos 24 anos), possuírem interesse amadorístico em música popular (quer dizer, cantam ou tocam profissionalmente em alguma banda popular), trabalharem no cinema e, por aqui e sobretudo, capa e galocha também, principalmente por jogarem futebol ou serem casadas com um player, mesmo abaixo de uma mediocridade aceitável. Vide Victoria Beckham. Mas eu preferia não ver.

As celebridades já estão nos dicionários, onde figuram como celebs, uma vez que raras são aquelas capazes de lidar com qualquer palavra com mais de duas sílabas.

Já vi, sempre graças ao célebre (sem ironia) Google, que no Brasil também já se usa essa forma.

Há inclusive uma web page dedicada às celebs e sua cotação no mercado celebal tupiniquim. Este criado que vos fala inclusive lá está num honroso 3.154º lugar. Procuro quem chegou em 3.155º e dele debocho e massageio meu ego por alguns minutos (mentira: fico horas gozando o bobão).

A melhor celeb é aquela celeb que virou celeb por não fazer nada a não ser aspirar, lutar e conseguir um lugar ao sol sob o intenso brilho das câmeras fotográficas, profissionais ou amadoras, que vivem desse outro brilho que é o brilho da celeb. Sim, esse jogo pode ser 1 a 1. Empate entre os que mais brilham.

Fuçando aqui e ali, deixando Robert Musil de lado (ele não ligaria; não é, nem foi celeb), mexo e remexo na net, tabloideio como um John Wayne da baixa imprensa, mas de segura pontaria, e tento buscar minha celeb predileta. Foi fácil achar.

Dou o nome pois em qualquer lista de não importa aonde, ela deve estar lá pelas 10 celebs mais celebadas. Paris Hilton.

Está para nascer o ser humano que tenha comprado um disco seu (ela se diz cantora quando se registra num dos hotéis da família) ou saiba algo mais do que o fato dela ser herdeira de uma vasta cadeia de hotéis e que coleciona animais de estimação.

Além do fato que gravou discos pagando fortunas por sua feitura e distribuição. Só não encontrou compradores.

No momento em que escrevo, um tabloide, sem adultério ou crime para relatar, me informa que dona Paris, essa festa imóvel, possue uma menagerie composta de 17 cachorrinhos chihuahas, um macaco, inúmeros furões e um bode que, de certa feita – escândalo!, escândalo! – não deixaram que embarcasse no avião.

De resto, no que a ela diz respeito, lembro-me de um clássico episódio da mais que irreverente série animada South Park,em que Paris, de visita à cidade em que a garotada pontifica, urina em pé. Não posso dizer se o episódio foi baseado em fato real ou não. Mas era impagável como só uma celeb pode ser impagável em South Park.

Encerro estas divagações impopulares referindo-me mais uma vez à ressurreição, ano passado, graças aos insistentes e por vezes histéricos pedidos de seus fãs, após uma ausência de 7 anos, de Futurama, e que começou a ter seus 25 novos capítulos exibidos na semana passada por estas bandas. Fry, Leela, dr. Farnsworth, Bender, Zoidberg, Hermes, Zap Brannigan. Esses sim são celebridades. Longa vida a todos.
Fonte: BBC
até breve

Maioria dos brasileiros é contra união gay, diz Ibope

Brasileiros divergem de brasileiras sobre casamento de homossexuais

Uma maioria de 55% dos brasileiros é contrária à decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que autorizou a união estável entre pessoas do mesmo sexo. Mas o tema divide a população: 52% das mulheres são a favor enquanto 63% dos homens são contra. As opiniões variam muito em função da religião, idade e escolaridade dos entrevistados.

A pesquisa foi feita pelo Ibope Inteligência entre 14 e 18 de julho. Foram entrevistados pessoalmente 2 mil brasileiros de todas as regiões do país, seguindo as quotas de distribuição da população por idade, sexo e classe de consumo. A margem de erro é de dois pontos porcentuais, para mais ou para menos. Os resultados podem ser extrapolados para toda a população brasileira.

A decisão do STF vai ao encontro do que pensam os brasileiros com menos de 40 anos, e contraria os mais velhos. O apoio à união gay varia de 60% entre os jovens de 16 a 24 anos a apenas 27% entre aqueles com 50 anos ou mais.

Não há pesquisas anteriores que revelem a tendência histórica, mas se a maioria dos jovens mantiver seus pontos de vista quando envelhecer, é possível que a opinião da maioria mude no médio prazo. Isso também pode ocorrer se aumentar o grau de educação da população.

A tolerância ao casamento de pessoas do mesmo sexo cresce com a escolaridade. A aceitação da união entre homossexuais é praticamente a metade entre quem só cursou até a 4ª série do fundamental (32%) em comparação a quem fez faculdade (60%).

O mesmo ocorre com as classes de consumo. Nas classes D/E, 62% são contra à oficialização da união gay. A taxa de rejeição cai para 56% nos emergentes da classe C, e fica em 51% na soma das classes A/B. Isso se reflete nas diferenças geográficas. Entre os brasileiros do Nordeste e Norte, onde a renda e escolaridade são menores, 60% são contra a união gay.

Mas nada divide mais a opinião dos brasileiros sobre esse assunto do que a religião de cada um. Entre os 60% de brasileiros católicos (50% a 50%) e entre os 12% de ateus/agnósticos (51% de apoio) há um racha de iguais proporções. Entre espíritas e adeptos de outras religiões não-cristãs, o apoio ao casamento de pessoas do mesmo sexo chega a 60%.

Quem desequilibra as opiniões contra a união estável homossexual são os evangélicos/protestantes. Com peso de 23% no total da população em idade de votar, eles são esmagadoramente contrários à decisão do STF: 77%. Apenas 23% concordam com os ministros.

As tendências apresentadas acima se mantêm quando a pergunta é: “Você é a favor ou contra a adoção de crianças por casais do mesmo sexo?”. Praticamente os mesmos 55% são contrários, contra 45% que são a favor. A ideia tem oposição de 62% dos homens, mas só de 49% das mulheres.

O apoio à adoção por casais gays é maior entre os mais jovens (60% entre pessoas de 16 a 24 anos) e mais escolarizados (58% no nível superior). A oposição é muito maior entre os mais pobres (62% nas classes D/E) e, principalmente, entre os evangélicos (72%).

Não opinião de Laure Castelnau, diretora-executiva de marketing do Ibope Inteligência, “o brasileiro não tem restrições em lidar com homossexuais no seu dia-a-dia, mas ainda se mostra resistente a medidas que possam denotar algum tipo de apoio da sociedade a essa questão”.

Isso porque o instituto perguntou qual seria a reação do brasileiro caso seu melhor amigo revelasse ser homossexual. A grande maioria, 73%, respondeu que a revelação não afastaria um do outro. Mas 14% disseram que se afastariam um pouco do amigo gay, e 10%, que se afastariam muito. Os mais incomodados seriam os mais pobres, os mais velhos e os evangélicos.

O Ibope investigou também a opinião dos brasileiros sobre o exercício de carreiras do serviços público por homossexuais, a saber: médicos, policiais e professores do Ensino Fundamental. Embora a grande maioria não tenha restrições, o preconceito é maior contra policiais e professores gays.

Os brasileiros totalmente a favor que homossexuais trabalhem como policias são 59% da população. Outros 15% são “parcialmente a favor” (o que não deixa de ser uma forma branda de ser contra), 9% são “parcialmente contra” e 15% são totalmente contra. A maior oposição vem dos homens, dos evangélicos, dos mais pobres e dos menos escolarizados.

No caso de um homossexual dar aulas da 1º à 9º série, o apoio incondicional fica em 61% dos brasileiros. São “totalmente contra” 15%, “parcialmente contra” 9% e “parcialmente a favor” 15%. Os que sem opõem são os mesmos contrários a que haja policias gays.

Já a contrariedade a médicos homossexuais no serviço público é menor, em comparação às outras profissões. Dois em cada três brasileiros são “totalmente a favor”. Apenas 15% se declaram contra (8% totalmente, 6% parcialmente), e 17% “parcialmente a favor”.

Mais uma vez, o apoio a que os gays exerçam a carreira de médico é sensivelmente maior entre as mulheres (73%), entre os mais jovens (73% até 29 anos), entre quem fez faculdade (75%), no Sudeste (74%) entre os católicos (70%) e adeptos de religiões não-cristãs (80%).
Fonte: Estadão
até breve

Alzheimer: uma nova abordagem terapêutica


A doença de Alzheimer (DA) – aquele alemão que nos faz esquecer as coisas, como dizemos jocosamente – é causada pelo depósito de placas amiloides-b e proteína tau no cérebro. Com isso, os neurônios e conexões são destruidos, levando aos poucos à perda da memória. Com o aumento da nossa expectativa de vida, a incidência da DA é cada vez maior. Prevenir o seu aparecimento tem sido uma preocupação constante.

Várias drogas testadas até o momento mostraram-se ineficientes. A explicação é clara. Uma vez instaladas no cérebro, é muito difícil retirar as placas. O “pulo do gato” é evitar que elas se depositem, não há outro jeito. Mas como conseguir isto já que quando os sintomas surgem as placas já fizeram um estrago irreversível?

Esse foi o tema abordado durante uma conferência internacional sobre DA em Paris, como resume David Cyranoski em um artigo recente (Nature News, 22 de julho): como testar drogas preventivamente, se não sabemos de antemão quem irá desenvolver a DA?

A estratégia será testar as formas hereditárias raras da DA, nas quais sabemos com certeza que os portadores de mutação serão afetados, muitos deles, precocemente
Na grande maioria dos casos, a DA obedece a uma herança multifatorial, isto é, depende da interação entre genes de suceptibilidade e o ambiente. Essas formas, que são muito comuns, são chamadas de esporádicas ou LOAD (do inglês Late Onset Alzheimer Disease). Já falei disso em colunas anteriores.

Embora saibamos hoje que todos temos placas amiloides no cérebro cuja quantidade aumenta com a idade , algumas pessoas desenvolvem a DA e outras não perdem a capacidade cognitiva até idades avançadas. Por que isso ocorre ainda é uma grande incógnita. Mas isso não acontece nas formas hereditárias – causadas por três genes de herança autossômica dominante (PSEN1, PSEN2 e APP) –, que correspondem, felizmente, a menos de 10% dos casos.

Pessoas com mutações nesses genes apresentam uma forma precoce da doença, geralmente entre os 40 e 50 anos de idade. Nas famílias com essa forma dominante é possível identificar com certeza os portadores de mutação muitos anos antes do aparecimento dos sintomas. Isso pode ser crucial para o tratamento preventivo, já que pesquisas apontam para um aumento da proteína amiloide-b no líquido céfaloraquidiano entre 20 a 30 anos antes do início da doença.

Ensaios clínicos com novas drogas estão previstos para 2012
O projeto DIAN (do inglês Dominant Inherited Alzheimer Network) pretende iniciar ensaios clínicos em 2012. Entre as várias drogas propostas será escolhida a mais promissora. Como nas formas hereditárias sabemos com certeza que os portadores das mutações irão desenvolver a DA, será fácil verificar se a droga está sendo efetiva ou não.

Uma das críticas em relação aos testes lembra que nas formas hereditárias há um aumento na produção das placas amiloides-b, enquanto nas formas esporádicas da DA o problema não é o aumento de produção, mas a “limpeza” das placas. Mesmo assim, os pesquisadores apostam que uma vez eficiente no tratamento de formas hereditárias, a droga será igualmente útil para tratar as formas esporádicas.

Os dilemas éticos
Sempre me posicionei contra testar pessoas saudáveis para mutações responsáveis por doenças de início tardio sem tratamento. Eu mesma não quero saber se vou ou não ter DA, pelo menos enquanto não houver tratamento. Mas, se realmente a detecção precoce permitir a prevenção, saber de antemão quem está em risco será fundamental. De acordo com alguns críticos, administrar drogas a pessoas saudáveis pode significar submetê-las a efeitos colaterais desnecessários, pois muitas talvez nunca desenvolvam a doença. Em cada caso é necessário pesar os prós e contras. Mas estamos caminhando para isso cada vez mais: a medicina preventiva.

Fonte: veja

até breve

Copom vê sinais favoráveis para inflação, mas ainda há riscos


O Banco Central (BC) informou, por meio da ata do Copom divulgada nesta quinta-feira, que viu sinais mais favoráveis para a inflação desde junho. O texto também traz que ainda são relevantes os riscos entre o descompasso entre oferta e demanda, apesar de que esses sinais "tendem a diminuir."

A ata do Comitê de Política Monetária (Copom) divulgada nesta manhã refere-se à reunião da semana passada, quando a Selic foi elevada pela quinta vez seguida, em 0,25 ponto percentual, para 12,50 por cento. O BC manteve muitos pontos da ata anterior.

Sobre as projeções de inflação, o BC manteve suas contas sobre 2012 pelo cenário de referência, mas elevou "ligeiramente" o número para 2011.

Fonte: Reuters

até breve

Ministério da Educação divulga hoje a terceira chamada do ProUni


O Ministério da Educação (MEC) divulga hoje (28) a lista dos pré-selecionados em terceira chamada para receber uma bolsa do Programa Universidade para Todos (ProUni). Pelo cronograma inicial, o resultado seria publicado na última segunda-feira (25), mas foi adiado. Para o segundo semestre de 2011, foram disponibilizados 92 mil benefícios e cerca de 460 mil se inscreveram para participar da disputa.

Os candidatos pré-selecionados devem comparecer às instituições de ensino para as quais foram selecionados até 3 de agosto a fim de comprovar as informações prestadas durante as inscrições. A lista dos documentos que precisam ser apresentados está disponível no site do programa.

Ao final das três convocatórias, o sistema gerará uma lista de espera que poderá ser usada pelas instituições de ensino para preencher as vagas remanescentes. Os interessados em integrar a lista deverão fazer essa opção no período de 8 a 10 de agosto, também no site do programa.

Pode participar do ProUni o aluno que cursou todo o ensino médio em escola pública ou estabelecimento privado com bolsa. Também é necessário ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2010 e atender aos critérios de renda do programa.

Fonte: Agência Brasil

até breve

segunda-feira, 25 de julho de 2011

OGX descobre hidrocarbonetos em poço de Campos


A OGX informou hoje que identificou a presença de hidrocarbonetos nas seções santoniana e albiana do poço 1-OGX-52-RJS, no bloco BM-C-41, em águas rasas da bacia de Campos. A empresa detém 100% de participação no bloco.

Em fato relevante, enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a empresa detalha que a nova descoberta, próxima a acumulação de Waimea, testou exitosamente calcarenitos albianos, em uma posição mais profunda, completamente independente da descoberta anterior. A empresa destaca também descoberta de óleo em reservatórios arenosos de idade santoniana.

"Estas descobertas comprovam, como sempre informamos, o grande potencial remanescente de recursos nesta importante província petrolífera, na porção mais meridional da bacia de Campos, diz no fato relevante, o diretor geral e de exploração da OGX, Paulo Mendonça.

Segundo a companhia, foi encontrada uma coluna com hidrocarbonetos em arenitos da seção santoniana em torno de 12 metros e net pay (área com óleo de fato) de aproximadamente 5 metros. Adicionalmente, outra coluna de 174 metros foi encontrada em carbonatos da seção albiana e net pay em torno de 96 metros.

Conforme a OGX, o poço OGX-52, denominado Tambora, localizado no bloco BM-C-41, situa-se a 93 quilômetros da costa do Estado do Rio de Janeiro, em lâmina d'água de aproximadamente 130 metros. A sonda Ocean Ambassador iniciou as atividades de perfuração no dia 4 de julho.

Fonte: veja

até breve

Lula já percorre País para vetar prévias no PT e negociar as alianças de 2012


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é contra a realização de prévias no PT para a escolha de candidatos às prefeituras, em 2012, e já trabalha para evitar a prática. Lula avalia que o modelo com voto dos filiados, tradicional no partido, deixa sequelas na disputa e mais atrapalha do que ajuda na atual temporada de costumes políticos pragmáticos. Em viagens pelo País, Lula já está articulando candidaturas e alianças com o PT.


Em São Paulo, ele está disposto a bancar a candidatura do ministro da Educação, Fernando Haddad, à revelia do PT. Pouco afeito a gestões políticas, Haddad enfrenta resistências na seara petista.

O empenho de Lula para varrer as prévias do mapa eleitoral não vale só para São Paulo. Ele combinou com a presidente Dilma Rousseff que cuidaria da montagem dos palanques nas principais capitais e enquadraria o PT. Aliancista, Lula avalia que o PT só deve apresentar candidato onde tiver reais chances de ganhar. Caso contrário, recomenda ceder a cabeça da chapa para uma outra legenda.

"Em determinadas situações, precisamos juntar todos os diferentes para enfrentar os antagônicos", diz o ex-presidente. "Quem tem responsabilidade com o projeto nacional faz suas contas olhando para o futuro", observa o governador da Bahia, Jaques Wagner (PT).

Novidade. Em São Paulo, Lula avalia que é preciso um nome novo na praça para enfrentar a "máquina" da Prefeitura, comandada por Gilberto Kassab (fundador do PSD), e também do governo, dirigido por Geraldo Alckmin (PSDB).

Além disso, há o fator Gabriel Chalita, deputado que migrou do PSB para o PMDB e assusta os petistas.

A senadora Marta Suplicy (PT-SP) está na frente nas pesquisas, postula a indicação do partido para concorrer à Prefeitura de São Paulo - que já administrou de 2001 a 2004 - e acha que é a única em condições de derrotar José Serra (PSDB), apesar de enfrentar alto índice de rejeição.

"Serra diz que não vai ser candidato, mas vai. Seria uma boa oportunidade para uma revanche", afirma ela, que perdeu a eleição para o tucano, em 2004.

Marta foi surpreendida pela movimentação de Lula, ficou contrariada, mas não crê que a candidatura de Haddad seja fato consumado. De qualquer forma, não pretende disputar prévia.

Há, porém, quem prometa defender esse método até o fim, caso não haja acordo.

Ex-marido de Marta, o senador Eduardo Suplicy (SP) quer agora concorrer novamente à Prefeitura de São Paulo, cargo que já disputou em 1985 e 1992.

"Por onde passo, todos me perguntam por que eu não sou candidato. Eu me disponho a ser e considero as prévias o mecanismo mais democrático do PT", insiste Suplicy, que praticamente obrigou o ex-presidente Lula a disputar com ele uma dessas primárias para definição do candidato ao Planalto, em 2002.

Trincheira. Na prática, porém, Lula está de olho em 2014 ao promover articulações políticas para a eleição do ano que vem.

"Não basta falar mal dos tucanos na véspera da eleição. Se a gente trabalhar direito, o Estado de São Paulo ficará pronto para a gente governar em 2014 e teremos um palanque forte para a Dilma", afirmou Lula no encontro estadual do PT, em Sumaré (SP), no mês passado.

"São Paulo virou a trincheira da oposição ao nosso projeto nacional e é a nossa prioridade", argumenta o presidente do PT paulista, Edinho Silva.

O PT quer desbancar o PSDB, que ocupa há 16 anos o governo de São Paulo, mas está dividido. Até mesmo o grupo de Marta rachou e dois de seus ex-secretários - os deputados Jilmar Tatto e Carlos Zarattini - também são pré-candidatos à Prefeitura.

Antes cotado, o ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, não deve entrar no páreo. Mercadante foi o candidato do PT ao governo de São Paulo em 2010.

Dificuldades. O quadro, porém, não é fácil para o PT nos maiores colégios eleitorais do País.

Além de São Paulo, o partido está cindido em Minas Gerais, não sabe que rumo seguir no Rio Grande do Sul e muito menos em Fortaleza, Recife e Curitiba.

Para completar, o Supremo Tribunal Federal (STF) prevê o julgamento dos réus do mensalão - maior escândalo do governo Lula, revelado em 2005 - para o primeiro semestre de 2012.

O PT teme que o escândalo de 2005 seja ressuscitado, dê munição aos adversários e contamine a disputa.

Em conversas com petistas e com a própria presidente Dilma Rousseff, Lula também prometeu atuar para desmontar o que chama de "farsa" do mensalão. Até agora, porém, o ex-presidente não deixou claro quais serão suas ações e sua estratégia.

Mesmo depois de deixar o Palácio do Planalto, o ex-presidente nunca disse quem o traiu.


Fonte: Estadão

até breve

Spielberg planeja retorno a "Jurassic Park"


Vinte anos depois que seus Velociraptors e Tiranossauros dominaram o Parque dos Dinossauros, o diretor Steven Spielberg alerta que os carnívoros estão voltando aos cinemas.

Spielberg disse ao público na convenção internacional Comic-Con, em San Diego, que está trabalhando em um novo filme "Jurassic Park - O Parque dos Dinossauros", para delírio de uma multidão na feira da cultura pop.

"Temos uma história. Temos um roteirista trabalhando no roteiro, e acho que veremos um 'Jurassic 4' no futuro próximo, provavelmente em dois ou três anos", disse ele.

O primeiro "Jurassic Park" conquistou o público com seus dinossauros desenvolvidos através do DNA encontrado em fósseis. Os animais ficavam em um parque temático, mas os convidados, em vez de desvendarem as maravilhas da ciência, acabaram virando comida.

O filme arrecadou 915 milhões de dólares nos cinemas do mundo todo, e ganhou duas sequências.

Spielberg fez sua primeira aparição na Comic-Con este ano para mostrar ao público trechos de seu novo filme "As Aventuras de Tintin", que foi dirigido por ele próprio e produzido pelo cineasta da série "O Senhor dos Anéis", Peter Jackson.

O filme, que será lançado em dezembro deste ano, é baseado no desenho em quadrinho do artista belga Georges Remi, cujo pseudônimo era Herge, e conta a história de um jovem repórter e seu cão fiel em várias aventuras, resolvendo mistérios.

Fonte: Reuters

até breve

Sai hoje lista de aprovados em terceira chamada para o ProUni


O Ministério da Educação (MEC) divulga hoje (25) a lista dos candidatos pré-selecionados em terceira chamada para receber uma bolsa do Programa Universidade para Todos (ProUni). Os aprovados devem comparecer às instituições de ensino para as quais foram selecionados até 29 de julho a fim de comprovar os dados fornecidos nas inscrições. A lista dos documentos que precisam ser apresentados está disponível no site do ProUni.

Se ainda houver bolsas disponíveis, será gerada uma lista de espera que poderá ser utilizada pelas instituições de ensino para preenchê-las. Os interessados em fazer parte da lista deverão manifestar seu interesse no site do programa, no período de 6 e 8 de agosto.

Para receber uma bolsa do ProUni, o aluno precisa ter cursado todo o ensino médio em escola pública ou estabelecimento privado com bolsa. Também é necessário ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2010 e atender aos critérios de renda do programa. O benefício integral pode ser pleiteado por candidatos com renda familiar per capita mensal de até 1,5 salário mínimo. As parciais são destinadas a estudantes com renda familiar per capita de até três salário mínimos.

Para o primeiro semestre de 2011 foram disponibilizadas 92 mil bolsas em instituições privadas de ensino superior.

Fonte: Agência Brasil

até breve

Tamanho do País é desafio para segurança nas fronteiras, avalia Dilma


A extensão da fronteira brasileira, quase 17 mil quilômetros, e a diversidade do país são os principais desafios para a segurança pública nessas regiões. A avaliação é da presidenta Dilma Rousseff, que comentou nesta segunda-feira o balanço do primeiro mês do Plano Estratégico de Fronteiras.

Em 30 dias, 550 pessoas foram presas em flagrante. Além disso, 10,5 toneladas de maconha e 500 quilos de cocaína foram apreendidos nas fronteiras do país. O plano, coordenado pelos ministérios da Justiça e da Defesa, envolve ações da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal, da Força Nacional de Segurança e das Forças Armadas. A iniciativa visa a fortalecer as ações de controle nas fronteiras.

“O tamanho do Brasil e a diversidade da nossa geografia são os grandes desafios para a segurança na fronteira brasileira. São quase 17 mil quilômetros de extensão. E, para cada região, precisamos ter estratégias diferentes”, avaliou Dilma no programa semanal de rádio Café com a Presidenta.

A repressão à entrada de drogas e armas em território brasileiro é uma das principais frentes do plano, e, segundo Dilma, complementa outras ações da política de segurança pública do governo. “Quando impedimos a entrada de drogas e armas no país, evitamos que esses produtos cheguem às cidades, às comunidades e às favelas. E aí, esta operação se soma às várias ações que estamos implementando nos centros urbanos, como as UPPs [unidades de Polícia Pacificadora]”, disse.

Além das ações policiais, o plano prevê investimentos em tecnologia e inteligência. Segundo Dilma, o Ministério da Defesa está elaborando um sistema que vai permitir o monitoramento por satélite das fronteiras. “É impossível imaginar que quase 17 mil quilômetros de fronteira possam ser monitorados só com policiais e soldados. É preciso usar informações e ter equipamentos que permitam planejar as ações”, ressaltou a presidenta.

Fonte: ig

até breve

Em SP, PSDB quer que filiados escolham candidato


O PSDB paulistano começou a formatar uma campanha de filiação, que será lançada no mês que vem, com o objetivo de preparar o partido para as prévias que podem definir o candidato tucano a prefeito de São Paulo em 2012. Enquanto o PT articula para que haja um consenso em torno do nome que disputará a prefeitura pela legenda, os tucanos alegam que, desta vez, são a favor de que o candidato seja escolhido pelos filiados do PSDB.



Hoje, há cerca de 10 mil pessoas filiadas ao PSDB paulistano. A ideia é que, por meio da nova campanha de filiação, esse número ultrapasse os 15 mil. "A gente está articulando para ter um colégio mais amplo e mais representativo. Assim poderemos promover um debate mais aberto", declarou o presidente do diretório municipal do PSDB, Julio Semeghini. A direção do partido quer prévias logo no começo de 2012.


O governador Geraldo Alckmin é o principal entusiasta da ideia, da qual pode se beneficiar, caso seja instituída nacionalmente para a escolha dos futuros candidatos à Presidência da República pelo PSDB. Apesar de muitos tucanos verem com ceticismo a criação das prévias - instrumento nada tradicional na história da legenda -, poderia ser uma solução num cenário com indicados de diversos grupos do PSDB.

Fonte: Estadão

até breve

Pela segunda semana seguida, analistas mantêm projeção para inflação oficial este ano


Analistas do mercado financeiro consultados pelo Banco Central (BC) mantiveram pela segunda semana seguida a estimativa para a inflação oficial neste ano. A projeção para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) é 6,31%. Para 2012, no entanto, a estimativa subiu de 5,20% para 5,28%.

As projeções para este ano e 2012 estão acima do centro da meta de inflação de 4,5%, mas dentro do limite superior de 6,5%.

Cabe ao BC perseguir a meta de inflação e para isso usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic. Na avaliação dos analistas, essa taxa, atualmente em 12,50% ao ano, deve encerrar 2011 em 12,75% ao ano, a mesma previsão para o final de 2012.

O boletim Focus também traz projeção para o Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe), que deve ficar em 5,57%, neste ano, e em 4,80%, em 2012.

A estimativa para o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) caiu de 5,72% para 5,65%, neste ano. Para 2012, a projeção oscilou de 5% para 5,04%.

No caso do Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M), a estimativa passou de 5,81% para 5,75%, neste ano, e permanece em 5,01%, em 2012.

A estimativa dos analistas para os preços administrados continua em 5,20% em 2011 e em 4,50%, no próximo ano. Os preços administrados são aqueles cobrados por serviços monitorados, como combustíveis, energia elétrica, telefonia, medicamentos, água, educação, saneamento, transporte urbano coletivo.

Fonte: Agência Brasil

até breve

Macaé Ecosurf - Hizunomê é campeão no Pecado


O paulista Hizunomê Bettero derrotou o carioca Gustavo Fernandes na grande final do Macaé Ecosurf 2011 que foi disputado nas ondas da praia do Pecado, Macaé(RJ)

A segunda e mais importante etapa do circuito Brasil Tour terminou neste domingo, 24 de julho, na cidade do litoral norte fluminense. Depois de três dias de muitas baterias e ondas surfadas, o domingo foi de sol, com ondas que não ultrapassaram meio metro e formação prejudicada pelo forte vento sul na capital do Petróleo.

Neste último dia de competição as baterias foram no formato homem-a-homem e com baterias de 25 minutos. Na primeira disputa das quartas-de-finais foram para água o cearense Márcio Farney e o paraibano Jano Belo. Farney se deu melhor nas difíceis condições da praia do Pecado e derrotou o paraibano pelo placar de 11,10 x 9,33. Com a derrota, Jano terminou na quinta colocação e somou 1525 pontos.

A segunda bateria das quartas foi um duelo carioca composta pelo local do Arpoador, Simão Romão e o surfista do Recreio dos Bandeirantes, Gustavo Fernandes. A bateria foi acirrada e na maior parte do tempo liderada por Simão.

Nos últimos cinco minutos Guga, que estava investindo nas direitas da laje, pegou duas ondas para reverter o placar. A bateria terminou com o apertado placar de 10.73 x 10.07, a favor de Gustavo Fernandes, que avançou para a semi final.

A terceira bateria do dia foi eletrizante. Hizunomê Bettero (SP) eliminou o último dos top 10 do ranking Brasil Tour, o potiguar Alan Jones. Hizu arriscou mais e foi recompensado. Obteve o somatório de 12.07, para eliminar Alan, que somou 9.83 em suas duas melhores ondas.

O paulista enfrentou o cearense Messias Félix que dominou a bateria contra Danilo Costa(RN). Messias apresentou um surf veloz, potente e inovador para cravar dois highscores (8.0 e 8.3), conquistando a vaga para semi final.

Semi Finais

A primeira bateria teve a participação de Gustavo Fernandes(RJ) e de Márcio Farney(CE). A disputa começou devagar, com os atletas se posicionando em diferentes picos.

Guga continuou apostando nas direitas mais longas e consistentes da laje. O carioca achou as melhores ondas, liderou boa parte da bateria e fez uso da prioridade para avançar a final da competição. Márcio Farney terminou com a terceira colocação no evento.

“O resultado foi super positivo no meu ponto de vista, pois no primeiro dia que eu cheguei aqui as ondas estavam pequenas, mas com a formação boa. Até brinquei com o Marco Polo, perguntando como eu ia me virar e consegui passar no meio dessa molecada nova que está quebrando. Estou com uma prancha muito boa, que eu comprei do Willian Cardoso, bem ágil e versátil. Consegui durante todo o evento encontrar uma onda mais no meio da praia, mas nessa bateria fiquei meio na dúvida. O Gustavo está quebrando, o mérito é todo dele. Estou amarradão, fiz uma boa campanha, estou no pódio e consegui os pontos, que é o que importa.” Finalizou o cearense, que com a derrota somou 1825 pontos no ranking que dá acesso a elite do surf brasileiro.

O paulista Hizunomê Bettero enfrentou o cearense Messias Félix na segunda semi final. A bateria foi disputada onda a onda, e a liderança alternou durante os 25 minutos. O final foi emocionante, com o resultado definido quando os dois atletas já estavam na areia.

O paulista levou a melhor, venceu pela pequena diferença de 0,86 pontos e avançou para grande final. Assim como Márcio Farney, Messias termina na terceira colocação e conquista 1825 pontos no ranking.

Final

Depois de 4 dias de campeonato e muitas baterias disputadas, os atletas Gustavo Fernandes e Hizunomê Bettero se enfrentaram na grande final do Macaé Ecosurf 2011.

Guga continuou apostando na onda da laje, enquanto o ubatubense Hizunomê Bettero investiu nas esquerdas em frente ao palanque. Hizu largou na frente com um 6,33 pontos e um 4.10, deixando o carioca precisando de uma nota 6,66.

Faltando 10 minutos para o fim, o paulista pegou outras duas esquerda para ampliar ainda mais a diferença em cima de seu adversário. Bettero tirou um 7,27 e um 7 pontos cravados para praticamente decretar a vitória.

No fim da bateria, o paulista colou no carioca. Guga ainda pegou uma direita, mandou um aéreo rodando de backside mas não foi o suficiente para tirar o título das mãos do local de Ubatuba, Hizunomê Bettero.

“O resultado para mim foi muito bom, para o ranking carioca e acho que devo dar um salto bem grande, já que era um campeonato com pontuação maior do que a dos outros. Eu investi durante toda a competição naquela direita, tentei mais uma vez na final, mas parece que a maré encheu e a onda parou de formar. O Hizunomê achou as ondas e venceu”. Disse Guga, que finalizou com o vice campeonato somando 7.500 pontos.

O paulista e campeão da etapa Hizunomê Bettero falou da vitória. “Eu só tenho a agradecer a todos que torceram por mim. Eu fiz uma tática totalmente diferente do Gustavo, que estava surfando lá na laje durante as baterias. A única vez que eu surfei lá não consegui encontrar onda, então já fiquei ali embaixo mesmo, tentando surfar mais a vontade, podendo surfar minhas ondas sozinho. Netuno me ajudou, mandou duas ondas para mim e consegui fazer meu trabalho. Fico muito feliz de vencer mais um campeonato.”

Com a vitória, o paulista local de Ubatuba somou 2.500 pontos no ranking do Brasil Tour, além da premiação de R$12.500.

A realização do Macaé Eco Surf é da Adding Sports e da FESERJ, Federação de Surf do Estado do Rio de Janeiro com supervisão da ABRASP e patrocínio da Prefeitura de Macaé, SIT Macaé e do Banco Itaú. O apoio é do Governo do Estado do Rio de Janeiro e da Associação de Surf de Macaé.

Fonte: Rico Surf

até breve

sábado, 23 de julho de 2011

Governo estuda liberar venda de bebidas alcoólicas em jogos da Copa, diz Orlando Silva


O ministro dos Esportes, Orlando Silva, disse hoje (22) que o governo está analisando o pedido da Federação Internacional de Futebol (Fifa) de liberar a venda de bebidas alcoólicas em estádios durante a Copa do Mundo. O Estatuto do Torcedor proíbe o consumo e a venda de álcool nos estádios.

“A Fifa pautou esse tema para nós. Nós estamos examinando a conveniência, a oportunidade ou não de manter a regra ou suspender a regra do consumo de bebida alcoólica”, disse o ministro.

Segundo Silva, o tema será discutido na elaboração do projeto de lei que vai determinar as normas para o Mundial de 2014. “Nós não vamos decidir sobre esse tema sem ouvir, por exemplo, o Ministério Público [Federal]”, ressaltou. O ministro lembrou que em alguns países o consumo de bebidas com álcool é permitido nos estádios.

Silva disse que o projeto de lei deverá ser enviado ao Congresso Nacional na primeira quinzena de agosto e que a decisão sobre o tema levará em conta vários fatores, como os contratos de patrocínio. “É um evento internacional, tem compromissos internacionais, tem patrocinadores da Fifa, mas tem também a estratégia do Brasil”.

Fonte: Agência Brasil
até breve

sexta-feira, 22 de julho de 2011

TODAS AS TRIBUS hoje no Sesc com KALIMBARIA

Recebi por e-mail, e estou divulgando


A música étnica abrange uma gama enorme de grupos e bandas, sendo apresentada tradicionalmente ou sincretizada com estilos modernos, podendo ser acústica ou eletro acústica ou eletrônica, e ainda inclui uma infinidade de ritmos regionais de todos o mundo. Só no Brasil temos o maracatu, o cacuriá, o tambor-de-crioula, a ciranda, o coco e tantos outros, que mesclados promovem a nossa diversidade cultural única.


Dentro dessa proposta o TODAS AS TRIBUS trará a cidade um grupo por mês de música étnica, sincretizada ou não com outros estilos, apresentando uma diversidade musical extremamente rica e balançante!


KALIMBARIA


O grupo composto por Fábio Simões Soares, Moara Ananideua, Gabriel Verani, Maurício Fonseca e Pablo Ferreira pesquisa o cancioneiro afro brasileiro, apresentam músicas autorais e de domínio público em vários ritmos e fabricam seus próprios instrumentos. O Kalimbaria já viajou a África diversas vezes na pesquisa de sonoridades cantos e instrumentos, além de serem profundos conhecedores da história da diáspora africana.


No Sesc Campos
22 de julho
20h

Ingressos:
R$ 3,00 para associados
R$ 6,00 meia entrada
R$ 12,00 inteira


até breve

Cederj divulga nova lista de vagas remanescentes

O Centro de Educação Superior a Distância (Consórcio Cederj) divulgou nesta quarta-feira (20) a relação dos candidatos provadas para as vagas remanescentes do vestibular. A lista está no site do Cederj.

Os candidatos convocados devem realizar a matrícula nesta quinta-feira (21), das 13h às 20h. A lista de documentos necessários está disponível no edital do vestibular.

O processo disponibilizou 4.985 vagas para cursos de graduação a distância na modalidade semipresencial. Eram oferecidas vagas para as seus principais universidades públicas do Rio de Janeiro, a Universidades Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade Federal Fluminense (UFF), Universidade Estadual do Rio da Janeiro (Uerj), Universidade Estadual no Norte Fluminense (UENF), Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) e a Universidade Federal do Estado do Rio da Janeiro (UniRio).

Fonte: Notícias BR

até breve

O petróleo é nosso


Válido pela segunda etapa do Circuito Brasil Tour, o Macaé Ecosurf 2011 começou nesta quinta-feira em ondas de meio metro e melhor formação no período da tarde na praia do Pecado, Macaé (RJ).


Pela primeira vez na história, uma etapa da divisão de acesso para a elite do surf brasileiro desembarca nas ondas da cidade, localizada no litoral Norte fluminense e conhecida como a Capital Nacional do Petróleo.



Organizadora do evento, a Abrasp (Associação Brasileira de Surf Profissional) não mediu esforços para a realização da disputa, que conta com o apoio da Prefeitura Municipal e distribui a maior premiação do Circuito nesta temporada: R$ 50 mil no total.



"Macaé a gente já conhece bastante, tanto pelo potencial das ondas como pela estrutura de primeiro mundo. É uma cidade de negócios, possui hoteis, restaurantes e uma ampla rede de turismo. Não é conhecida como a capital do petróleo à toa", afirma Pedro Falcão, gerente de eventos da Abrasp e diretor de prova do evento.



Encarregado de toda a logística do campeonato, Falcão espera colocar de vez a cidade no mapa das competições nacionais e de quebra ainda incentivar a base do surf na região.



"Aqui tem tudo o que precisamos. Hoje as ondas estão pequenas, mas nós que somos do Rio de Janeiro já conhecemos bem as lajes de pedra e a qualidade dos atletas locais. Quando pensamos nestes eventos, o que vem à cabeça é reunir boas ondas e a estrutura necessária para abrigar imprensa, juízes, staff e tudo mais. Por isso escolhemos Macaé", ressalta o diretor.



Nesta quinta-feira foi realizada a primeira fase da prova e alguns dos melhores atletas do país estrearam na praia do Pecado. Mas os 48 cabeças-de-chave - como o líder do ranking Halley Batista (PE) - só caem na água a partir desta sexta-feira, quando começam as disputas do segundo round.



O grande destaque da abertura foi o paulista Filipe Toledo. Filho do bicampeão brasileiro Ricardo Toledo, o atleta anotou a maior nota do dia, 9.67, na bateria que também classificou o paraibano Ulisses Meira. Vice-campeão da etapa de abertura no Guarujá (SP), Filipe, 16, descolou dois aéreos de frontside para cravar o high score e conseguir classificação para a segunda fase com 16.84 no somatório e os recordes do primeiro dia.



"As ondas melhoraram um pouco agora de tarde. O vento ficou terral e as séries estão bem definidas na laje. Consegui dar um aéreo, a manobra que está no pé, e passar de fase. Nunca tinha surfado aqui, não imaginava que era assim, uma onda tão boa para a direita. Espero chegar à final mais uma vez", declara o atleta de Ubatuba (SP).



Ulisses Meira também teve um bom desempenho e descolou a segunda maior nota do dia na mesma bateria, 8.83 pontos. Ele se classificou em segundo com 12.16 no total. O também paraibano Raphael Seixas, em terceiro, e o cearense Argus Diniz, quarto colocado, foram eliminados da disputa.



Outros que conseguiram classificação com um bom desempenho na estreia foram Alan Donato (PE), Saulo Junior (SP), Emerson Piai (SP), Marco Fernandez (BA), Beto Fernandes (SP) e Adilton Mariano (CE).



Uma nova chamada acontece nesta sexta-feira às 8 horas (horário de Brasília).
Fonte: Waves
até breve

Dupla Cabral-Eike aterroriza população pobre de São João da Barra, que será expulsa de suas terras sem indenização


Diversos videos que circulam pela internet mostram que cerca de 1.500 famílias de pequenos agricultores da região do Açu, em São João da Barra, na Região Norte do Estado do Rio de Janeiro, estão tendo suas terras desapropriadas pela Codin (Companhia de Desenvolvimento Industrial do Estado do RJ) para construção de um Distrito Industrial, que ficará anexo ao Complexo Portuário do empresário Eike Batista.

A Codin afirma que está agindo dentro dos trâmites legais, mas os camponeses, mas alguns blogs locais alegam o contrário, inclusive, que a companhia se utiliza de força e de ameaças de violência, visto que se trata de pessoas humildes que nasceram, cresceram e vivem no mesmo lugar, onde tudo que sabem e querem na vida é plantar, colher e vender produtos agrícolas para sobreviverem honestamente.

As terras estão sendo desapropriadas e as famílias de camponeses serão removidas para outras áreas, sem qualquer compensação financeira. É triste ver um empresário que está entre os dez mais ricos do mundo e faz essa perversidade com famílias tão pobres. Por que não indenizá-las. Que diferença isso faria para Eike? Seria ótimo até para ele, não somente para mostrar que tem sentimentos, mas também para faturar em cima, em termos de marketing social.

Mas desse jeito, passando por cima dos direitos desses camponeses, cujas famílias habitam o local há gerações, esta parceria bilionária Cabral-Eike caminha para se tornar mais um escândalo no desgoverno estadual, ou seja, é o estado a serviço do grande capital, intitulando-se como “modelo de desenvolvimento”.

Fonte: Corrêa Neto

até breve

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Ivan Lessa: Como vão as coisas aqui


Minha natural desconfiança da mídia impressa e informatizada já não era lá essas coisas. Coisas que o tempo, que leva tanta coisa, traz como quem dá uma esmolinha.

Minhas décadas de Grã-Bretanha me ensinaram a respeitar os modos, certas tradições, teatro e polícia.

Tópicos relacionadosColunistas Os jornais, que não tabloides, mesmo à contra-mão de minhas preferências pessoais, eram bem escritos (e muitos continuam a ser) e dava para se confiar em quase 40% do que publicavam. Uma excelente média para qualquer país.

Quanto à polícia, desde os anos 60, eu admirava aqueles dois guardas que cumprimentávamos quando faziam, serenos e monotonamente, a ronda dos quarteirões vizinhos à minha casa cujo território lhes cabia vigiar.

Lembravam-me velhos filmes e a época curta em que duraram nossos Cosme e Damião, como o chamávamos, policiando a dois as ruas pacatas do Leblon, para ficar num bairro só.

Quando penso que não andavam armados os policiais ingleses tenho que me beliscar (e não é no sentido figurado; eu acho bom uma dorzinha ocasional) para me certificar de que tudo não foi um sonho.

Agora, aí está o que aí está.

Lá se foi a Scotland Yard, não é mesmo Jean-Charles de Menezes? Não se dá mais para confiar em jornalismo, polícia, político (com esses eu comecei meu processo de desilusão, para não dizer asco, assim que acabei de ler minha primeira cartilha).

Ator, essa raça tão vilipendiada, alvo predileto dos tabloides sensacionalistas, acostumados a conviver com textos bons e medíocres, além de grampos e paparazzi, eu nunca levei muito a sério. Que decorassem seus papéis, seguissem as instruções do diretor, de teatro ou cinema, e depois sorrissem para as objetivas.

No entanto, no meio desse pau todo que vem rolando, e assim continuará por algum tempo, antes mesmo do The Guardian botar sua boquinha em formato de coração no trombone, foi um ator que deu o primeiro lance nesta verdadeira “batalha” que agora transcorre de maneira maçante (aí, esta rasgação de seda na terça-feira na badalada comissão de inquérito parlamentar, essas excessivas boas maneiras... Ou será paúra pura e simples? Um único momento interessante: o cara com um pastelão pronto para a cara senil do velho Murdoch. Segurança policial é isso aí. Tem mais, as ações do império do homem subiram de cotação na terça. Hem?).

Mas eu dizia, foi Hugh Grant (vou repetir: Hugh Grant) que escreveu um artigo lúcido e objetivo para o semanário de esquerda The New Statesman, que já conheceu dias melhores.

Grant não personalizava. Depois de ser ferrado por um ex-executivo do News of the World levou um papo com o bruto, gravou na moita e foi revelação após revelação. Está na internet. Hugh Grant limitou-se a fazer as perguntas certas no que dizia respeito aos excessos reinantes e à convivência nefasta de políticos e policiais com o haras impresso de Rupert Murdoch.

Agora, aí está o berreiro atingindo decibéis inimagináveis há dois meses.

Governo e oposição saindo-se igualmente mal, mas principalmente o governo, já que todo mundo tem culpa no cartório. Já houve uma morte de ex-jornalista do NoW, ainda por investigar. Altas autoridades policiais se demitiram. Corrupção é a palavra de desordem.

Tento me consolar, num patriotismo indevido, sabendo que há parlamentares e lordes do reino cumprindo pena de prisão por terem mentido ao relacionarem suas despesas pessoais pagas pelo contribuinte.

Na minha terra natal, como forma de consolo barato, isso aconteceria? Pergunta retórica que faço todo dia ao passar os olhos em nossos – são 3 ou 4, pois não? – jornalões. Noto que a impunidade, o esquecimento, o deixa-pra-lá são não só a tônica, como também o gim, o gelo e a rodelinha de limão servidos para os distintos fregueses que se dizem alfabetizados.

A única coisa interessante que li e continuo a ler na mídia eletrônica brasileira é a questão desses bueiros que explodem na Zona Sul do Rio matando, ferindo e assustando a sempre impressionável e vulnerável populaçao carioca.

Não me informaram se os bueiros de outras cidades comportam-se na tradição habitual paradona e quieta dos bons bueiros. Mas sou informado que a companhia responsável por esses desastres todos chama-se – ô que delícia! – Light.

Reformas ortográficas, nacionalizações, bolsas disso e daquilo outro, orgulhos indevidos, coisa e tal, e não conseguiram se sair com um nome mais tupiniquim do que Light.

Vivo cantarolando mentalmente o breque em homenagem à briosa corporação, então canadense, da esplêndida composição do magnífico Lamartine Babo, Canção para Inglês Ver, que, a uma certa altura, diz assim, conforme versão de Joel e Gaúcho: Light And PowerCompanhia Limitada. Consta que ao menos o Power foi para os tinflas. Já é algo.

Diz-se, por aqui, que jornal só serve para sujar as mãos e embrulhar o fish and chips comprado na esquina. Fujo a essa tradição e, se possível, peço um envólucro plástico, que nem precisa ser reciclável.

Fonte: BBC Brasil

até breve

Os leitores aposentam a UNE, acrescentam uma letra à velha sigla e criam a União Nacional dos Estudantes Amestrados


Por Augusto Nunes

Nascida em 1937, a União Nacional dos Estudantes foi presidida até o fim dos anos 60 por nacionalistas, udenistas, socialistas, comunistas ortodoxos e partidários da luta armada. Mas nunca pertenceu a qualquer partido ou organização. Fosse qual fosse a identidade ideológica do presidente ou da diretoria, a UNE sempre procurou traduzir o pensamento majoritário do universo que representava. Descontados os inevitáveis acidentes de percurso, opções equivocadas e erros bisonhos, prevaleceram na longa e bela trajetória da entidade a independência política, a vocação antigovernista, o amor à democracia e a paixão pela liberdade.

Orientada por tais marcas de nascença, a UNE combateu o Estado Novo, defendeu nas ruas a entrada do Brasil na guerra contra o totalitarismo nazista, lutou pela ressurreição do regime democrático, ajudou a apressar a criação da Petrobras, apoiou as reformas planejadas pelo governo João Goulart, opôs-se ao golpe militar de 1964 e resistiu à institucionalização da ditadura, consumada pela decretação do AI-5. Depois de sobreviver a adversidades de bom tamanho, sucumbiu à ação conjunta da cabeça de José Dirceu e da mão pesada do regime autoritário.

Em 1968, encarregado de organizar o congresso da UNE, o futuro guerrilheiro de festim resolveu juntar mais de 1.000 universitários perto de uma cidade com menos de 10 mil habitantes. A Polícia Militar completou o serviço e prendeu todo mundo. O desmaio da UNE se estendeu até 1985, quando acordou do sono e emergiu da clandestinidade para agonizar à luz do dia. Perdeu a independência em 1980, quando o agora deputado federal Aldo Rebelo assumiu a presidência e reduziu a UNE a um apêndice do Partido Comunista do Brasil. Perdeu a vergonha em 2002, quando foi incluída no contrato de aluguel assinado pelo presidente Lula e pelos chefes do PCdoB.

Aos 74 anos, a velha senhora caiu na vida e perdeu o direito de continuar usando o nome outrora respeitável. Numa das mais movimentadas enquetes da história da coluna, 3.290 leitores-eleitores resolveram que a UNE não existe mais. Por decisão de 1.047 votantes (32% do total), nasceu a União Nacional dos Estudantes Amestrados. A UNEA e o governo se merecem.

Fonte: veja

até breve

Paulo Bernardo acredita em entendimento entre PT e PR


O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, acredita que apesar das divergências entre o PT e o PR sobre a condução da crise no Ministério dos Transportes, pelo governo, os dois partidos devem dialogar no Congresso Nacional e chegar a um entendimento.

Bernardo, que participou hoje do programa "Bom Dia Ministro", na sede da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), disse que não está autorizado a falar sobre a relação entre o governo e o Congresso, o que cabe à ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti.

Ele também comentou que a presidente Dilma Rousseff está trabalhando no sentido "de fazer as coisas andarem direito", destacando as providências já tomadas, como a paralisação das licitações e a demissão de funcionários vinculados à área dos transportes. "A partir do momento em que houve denúncias, a obrigação do governo é investigar e esclarecer", disse Bernardo.

Fonte: Estadão

até breve

Acordo vai facilitar acesso de micro e pequenas empresas a sistema de Justiça


A 19ª Reunião Plenária do Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte será realizada hoje (21) em Brasília. Na abertura dos trabalhos, às 9h, os ministros da Justiça, José Eduardo Cardozo, e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, firmam acordo de cooperação para ampliar e simplificar o acesso de microempresas e empresas de pequeno porte a mecanismos de solução de conflitos e de recuperação das empresas.

As alternativas extrajudiciais, como conciliação prévia, mediação e arbitragem, podem proporcionar resposta mais rápida para os conflitos, com menos custos financeiros. A partir do acordo, os ministérios vão elaborar um plano de ação.

O evento é organizado pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e pelo Serviço de Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Na ocasião, também haverá o lançamento de produtos feitos pelo Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, como um site, a Cartilha de Fiscalização

Fonte: Agência Brasil

até breve

Romário diz que ainda não é ‘o cara’ para prefeito do Rio

No Piauí, deputado joga para escanteio candidatura à chefia do executivo municipal

Teresina (PI) - Diferentemente do que acontecia nos gramados, o deputado federal (PSB-RJ) e ex-craque Romário afirmou ontem que ainda não se considera “o cara” para ser prefeito do Rio de Janeiro. A afirmação foi feita durante encontro de Romário com o governador do Piauí, Wilson Martins (PSB), em Teresina, onde ele foi tratar de projetos sobre o uso do futebol no combate às drogas e o Plano Nacional para Pessoas com Deficiências. Ao jogar para escanteio a chance de concorrer em 2012 para a Prefeitura do Rio, o ex-jogador disse que não está “preparado” ou “qualificado” para o cargo.

“Eu não sou preparado e qualificado para exercer cargo na Prefeitura, principalmente a do Rio de Janeiro. O meu papel na política é cumprir bem o mandato de deputado federal nesses quatro anos, fazer valer o que eu disse na minha campanha, que é de trabalhar para as crianças, para as pessoas com deficiência e usar o esporte, principalmente o futebol, para tirar as crianças das drogas, do tráfico, do crack”, disse Romário.

Pelo menos no que diz respeito à sua presença às sessões na Câmara, o Baixinho está cumprindo a promessa. Na semana passada, Romário, junto com o ex-palhaço e agora também deputado Tiririca, recebeu elogios do presidente da Câmara, Marco Maia, por comparacer a todas as reuniões deliberativas da Casa.

Deputado diz apoiar Lei Seca

Sobre a polêmica após se recusar a fazer o teste do bafômetro no Rio, Romário disse que continua apoiando a Lei Seca. “Eu não bebo porque não gosto de beber, mas não vou fazer o exame porque é meu direito não fazer. Ninguém pode dizer que eu desrespeitei a lei ou dei mau exemplo. A Lei Seca diminuiu bastante o número de acidentes com motoristas alcoolizados. Eu usei a lei naquele momento para não fazer o exame”, disse Romário.

Fonte: O Dia

até breve

Polícia recupera em Campos terceiro caminhão de carga roubado


Policiais militares de Campos dos Goytacazes (8º BPM), no norte do Estado do Rio de Janeiro, encontraram na tarde desta quarta-feira (20) um caminhão com uma carga de roupas abandonado no bairro de Donana, na periferia da cidade. Esse foi o terceiro caminhão recuperado no município desde o início da tarde de terça-feira (19).

Os policiais encontraram a chave quebrada na ignição e a carga estaria aparentemente intocada. O veículo teria saído da Pavuna, na zona norte do Rio de Janeiro, em direção ao Espirito Santo, onde ia entregar as roupas de uma grande rede de lojas. O caso foi registrado na Delegacia do Centro (134ª DP).

Na manhã desta quarta-feira agentes da Polícia Rodoviária Federal recuperaram um caminhão com alimentos na BR-101 norte, rodovia que liga o Rio de Janeiro ao Espírito Santo, próximo a localidade de Caxeta, em Campos. A ocorrência também é da Delegacia do Centro.

Durante a ação um homem foi preso. Ele teria sido contratado para quebrar o rastreador do veículo. Uma das três vítimas que estavam no caminhão resgatado, contou que esse foi o quarto assalto a um veículo de carga da empresa no trecho entre Rio Bonito, na Baixada Litorânea, e Conceição de Macabu, no norte do Estado. Um percurso de 144 km, ou seja, cerca de duas horas de viagem.

Na terça-feira o caminhão recuperado estava sem carga. Ele foi encontrado pelos agentes da operação Barreira Fiscal durante uma blitz próxima a BR-101, na localidade de Conselheiro Josino, em Campos. O caso foi registrado na Delegacia de Guarus (146ª DP).

Fonte: R7

até breve

Cinco pessoas ficam feridas em mais um acidente na BR-101, no norte fluminense



Um caminhão carregado de refrigerantes tombou na BR-101, na altura de Caxeta. Ele só parou 80 metros depois e arrastou outros carros. Os moradores da região saquearam a carga.

Fonte: R7

até breve

“Oil & gas“ aquece mercado hoteleiro de Campos (RJ)


A Região Norte Fluminense, com destaque para os municípios de Campos e Macaé, se beneficiam com o aquecimento do mercado por causa dos investimentos em Porto de Açu e Barra do Furado e pela demanda vislumbrada pela exploração de petróleo na camada pós e pré-sal.

Até o final do ano, por exemplo, Campos deverá ter mais 8.625 unidades habitacionais disponíveis com investimentos feito por empresas privadas e pelo setor público. A próxima inauguração, em cerca de um mês, será do apart-hotel Supreme Campos, uma parceria da incorporada NEP com a rede Atlantica Hotels International.

Com um valor geral de vendas estimado em R$ 100 milhões, o empreendimento terá duas torres, com cerca de 400 acomodações. Em uma será operado um hotel com a marca Sleep In e na outra uma opção Quality.

No início de julho, a rede Atlantica inaugurou o Comfort Hotel Campos com 126 apartamentos e três salas de eventos.

Fonte: Panrotas

até breve

Governo do Rio estuda criação de geoparque junto à Unesco


O governo do Rio de Janeiro busca, junto à Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco), a criação do Geoparque Costões e Lagunas, que abrangeria 15 municípios do litoral fluminense. A área do parque iria de Maricá, na região metropolitana, até São João da Barra, no norte fluminense. O projeto será apresentado à Unesco em setembro, e a chancela, se concedida, ocorrerá em um prazo de seis meses a um ano, como explicou a diretora de Mineração e Meio Ambiente do Departamento de Recursos Minerais (DRM) do Estado, Débora Toci.

Se aprovada, a iniciativa dará lugar ao o segundo geoparque das Américas e o 78º do mundo. O Geoparque de Araripe foi criado em 2006, no Ceará.

Os Estados de Minas Gerais e Mato Grosso do Sul também já apresentaram propostas e pleiteiam o selo, que garante reconhecimento mundial, por meio de uma rede global, estimulando o turismo científico e cultural.

O projeto será apresentado à Unesco em setembro, e a chancela, se concedida, ocorrerá em um prazo de seis meses a um ano, como explicou a diretora de Mineração e Meio Ambiente do Departamento de Recursos Minerais (DRM) do Estado, Débora Toci. Segundo ela, "O fundamental da iniciativa na Unesco é a demonstração de que há toda uma preocupação ambiental".

De acordo com o governo do Rio, a sede do geoparque ficaria na fazenda Campos Novos, em Cabo Frio, na região dos Lagos, e prevê a construção de um museu para reunir objetos e documentos que relatem a história e a relevância científica dos 104 sítios já mapeados.

Fonte: Mercado e Eventos

até breve